SME mostra funcionamento dos protocolos sanitários para retorno às aulas presenciais nas escolas municipais

Publicado em 29/01/2021 - 15:38 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • SME mostra funcionamento dos protocolos sanitários para retorno às aulas presenciais nas escolas municipais
SME mostra funcionamento dos protocolos sanitários para retorno às aulas presenciais nas escolas municipaisSecretário de Educação - crédito: Ricardo Cassiano | Prefeitura do Rio de Janeiro

O secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha, demonstrou na Escola Municipal Pereira Passos, no Rio Comprido, nesta sexta-feira, 29/1, o funcionamento dos protocolos sanitários que vão garantir a segurança de alunos, professores e comunidade escolar para o retorno presencial. O conjunto de medidas faz parte do Plano de Volta às Aulas, validado pelo Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19, formado por especialistas e pesquisadores, e apresentado publicamente no último dia 27/1 pelo prefeito Eduardo Paes e pelos secretários municipais de educação e saúde.

As principais diretrizes do protocolo visam reduzir as chances de contaminação dentro das unidades escolares. Para isso, serão respeitadas regras como o distanciamento de carteiras nas escolas, creches e EDIs que será de 1,5 metro; a higienização das mãos será frequente; o uso de máscara será obrigatório (exceto para crianças de até 3 anos) e, na hora da merenda, as refeições serão feitas dentro das próprias salas, para evitar aglomeração nos refeitórios. Além disso, o horário de entrada e saída será escalonado.

O retorno das aulas presenciais está marcado para o dia 24 de fevereiro. Nas próximas semanas, as unidades educacionais aptas a receber alunos vão ganhar as marcações de distanciamento e demais medidas determinadas no protocolo sanitário. O Plano de Volta às Aulas da rede municipal de ensino, que conta com 1.543 unidades escolares, estabelece medidas de prevenção, monitoramento e contingência de casos do coronavírus.

O secretário Ferreirinha ressaltou que o plano é dinâmico e pode ser modificado de acordo com as condições epidemiológicas de cada região da cidade.

– A prefeitura do Rio vai usar um protocolo sanitário rigoroso para que pais, alunos e profissionais da Educação tenham segurança nessa retomada das aulas. O protocolo está validado pelo Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19, um grupo de cientistas e especialistas em Saúde que entendem muito do assunto. Estamos trabalhando para, além de um protocolo sanitário seguro, oferecer acolhimento e uma educação de qualidade para nossas crianças e jovens. Ninguém deve ficar para trás – disse o secretário.

Duas etapas

A volta às aulas terá duas etapas iniciais: remota, a partir de 8 de fevereiro, e presencial, a partir de 24. As aulas presenciais estão divididas em fases. Na primeira fase, voltam parcialmente alunos da pré-escola, 1º e 2º ano. Na segunda, voltam parcialmente alunos de creches, 3º ao 6º ano e 9º ano. Na 3ª e última etapa, mais alunos de creches e 6º ano, alunos do 8º ano, PEJA e Classes Especiais. Para evitar aglomeração, a quantidade de alunos nas unidades estará condicionada às condições epidemiológicas de cada Região Administrativa da cidade. Se a situação estiver Moderada (bandeira amarela), as unidades escolares poderão receber 75% de seus alunos. Se estiver Alta (bandeira laranja), 50% de sua capacidade. E se estiver Muito Alta (bandeira vermelha), 30% da capacidade.

Programa Conect@dos

O Programa Conect@dos irá oferecer dados patrocinados aos 641 mil alunos e 39 mil professores da rede municipal de ensino para que tenham acesso gratuitamente à plataforma de aulas. Estudantes que não têm equipamentos para acessar a internet ou morem em áreas sem cobertura, vão receber o material didático impresso e, em algum momento, irão às escolas deixar as atividades didáticas. Caso o aluno tenha alguma dúvida, ela será respondida na próxima vez em que ele for à escola buscar suas atividades didáticas.

Limpeza nas escolas

As unidades de ensino receberão ações de limpeza e desinfecção, segundo as recomendações da Anvisa, e o chão das unidades terão marcações para facilitar o distanciamento necessário. As janelas e portas ficarão abertas para facilitar a ventilação, e atividades ao ar livre terão prioridade. As mesas dos professores ficarão, no mínimo, distantes 2 metros da dos estudantes. Entre os alunos, a distância das carteiras será de 1,5 metro.

Além disso, os alunos não poderão compartilhar objetos pessoais, como livros e canetas.

Os parquinhos das unidades serão usados apenas por crianças de até 10 anos, que deverão manter a distância de 1,5 metro umas das outras. As bibliotecas estarão liberadas, desde que respeitando o distanciamento e garantindo que os funcionários higienizem as mãos com álcool em gel 70% antes e depois de manusear o acervo.

O protocolo sanitário que será usado nas escolas municipais tem o aval do Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 da prefeitura do Rio, grupo formado por especialistas em Saúde, pesquisadores e acadêmicos.

  • 29 de janeiro de 2021