Saúde e Educação debatem protocolo para afastar coronavírus das unidades escolares

Publicado em 03/01/2021 - 20:07 | Atualizado em 03/01/2021 - 20:13
O calendário escolar será anunciado nesta semana pelo secretário Ferreirinha Foto: Divulgação

Os secretários municipais Renan Ferreirinha, de Educação, e Daniel Soranz, de Saúde, fizeram uma reunião, neste domingo (03/01), sobre o plano de Volta às Aulas. Destaque para três medidas: um protocolo sanitário, um sistema integrado de monitoramento de casos de COVID e um plano contingência para as unidades escolares do Rio.

Ferreirinha e Soranz debateram o protocolo sanitário que será adotado nas unidades de ensino. É uma medida para evitar a contaminação por coronavírus nas escolas, creches e EDIs, garantindo assim o retorno das aulas com segurança.

— O protocolo é muito importante, pois vai definir o “como” as aulas vão voltar, irá estabelecer a estrutura e as medidas de prevenção que são necessárias para isso acontecer. Depois é que vamos falar no “quando” as aulas poderão voltar — comenta Ferreirinha.

Os secretários conversaram sobre a integração de dois sistemas: o “Avisos”, que é usado na rede municipal de Ensino e recebe também notificações de casos de alunos contaminados pela COVID, e o sistema da Secretaria Municipal de Saúde, que alcança os casos de toda a cidade.

— Essa integração vai garantir que a nossa rede de Ensino tenha atenção próxima da Secretaria de Saúde. Isto vai abranger não só alunas e alunos, mas professores, demais profissionais da Educação e toda a comunidade escolar. Com um sistema integrado, vamos reduzir as chances de duplicação de casos, que alteram bastante as análises, e saberemos com maior clareza que medidas devem ser tomadas pela Saúde diante do surgimento de novos casos. Se soubermos, por exemplo, que uma escola registrou 3 casos, a Saúde já terá conhecimento e poderá agir mais rapidamente — afirma o secretário de Educação Renan Ferreirinha.

O calendário escolar será anunciado nesta semana pelo secretário Ferreirinha. Até meados deste mês, a Educação vai consultar o Comitê Especial de Enfrentamento da COVID-19, formado por pesquisadores, cientistas e especialistas em Saúde, e ouvir a comunidade escolar para só então definir quando as aulas presenciais poderão ser retomadas.

 

Prefeitura apresenta plano de combate à COVID-19 com ações em conjunto com governos federal e estadual

  • 3 de janeiro de 2021