R$ 16 milhões: escolas da rede municipal recebem obras de manutenção

Publicado em 15/03/2021 - 16:17 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • R$ 16 milhões: escolas da rede municipal recebem obras de manutenção
EM Leonel AzevedoDivulgação: Escola Municipal Leonel Azevedo - E/CRE(11.20.015)

No mês em que se comemora o Dia da Escola (15/3), a Secretaria Municipal de Educação do Rio começou a distribuir R$ 16 milhões para a realização de ajustes e obras de manutenção nas unidades da rede. Escolas, creches e EDIs estão recebendo repasses de R$ 8 mil, R$ 12 mil ou R$ 16 mil. Cada escola recebeu um valor de acordo com sua necessidade. O secretário municipal do Rio, Renan Ferreirinha, destaca que a medida valoriza as direções das unidades, já que os recursos são enviados por meio do Sistema Descentralizado de Pagamento (SDP), e fortalece as escolas.

– Soube que há escolas que nunca tinham recebido verbas significativas por meio do SDP, um sistema que supera a burocracia, enviando os recursos diretamente para a equipe gestora. E o diretor ou diretora, sabendo das necessidades de sua unidade, aplica esses recursos para resolver os problemas da escola. Infelizmente, muitas escolas ficaram sem a devida manutenção nos últimos anos. Essa é uma medida para começar a corrigir esses problemas e fortalecer nossas unidades – explica Ferreirinha.

A coordenadora da 4ª CRE, em Olaria, Fátima Barros, que responde por 163 unidades escolares e 66 mil alunos, reforça que o SDP é “o meio mais prático e econômico para resoluções de determinadas fragilidades”.

– O diretor sabe negociar o suficiente até conseguir um serviço bom e barato. Sem contar que ele, diretor, sabe o que é necessário para sua Unidade. As direções conseguem fazer grande economia e uma boa administração da verba.

O resultado já pode ser visto em muitas unidades da rede. Na Escola Municipal Ministro Plínio Casado, em Brás de Pina, Zona Norte do Rio, foi feita a troca das tubulações e dos registros da caixa d’água. Elas estavam oxidadas por causa de um vazamento que afetou o teto das salas e do auditório da unidade. No EDI Aníbal Machado, no Andaraí, foi feita obra para abrir os basculantes, melhorando a circulação de ar, além de troca de telhas quebradas no telhado, pintura da fachada e troca de filtros dos bebedouros. E na Escola Municipal IPEG, em Paciência, na Zona Oeste carioca, os banheiros, que há dois anos estavam em péssimas condições, foram reformados.

A coordenadora da 8ª CRE, em Bangu, Zona Oeste do Rio, Josecy Brilhantino, diz que a verba do SDP é de “grande relevância” e que o uso do recurso foi definido em conjunto com o Conselho Escola Comunidade (CEC), que reúne representantes de responsáveis e profissionais da Educação. A região da 8ª CRE tem 187 unidades escolares e 73 mil alunos.

– A partir do planejamento conjunto da equipe da direção com os componentes do CEC, ações importantes de revitalização do espaço escolar, pequenos reparos, aquisição de materiais podem ser realizados. A equipe escolar conhece suas necessidades e pode agilizar as ações que venham a proporcionar condições cada vez mais satisfatórias para atendimento aos nossos alunos – afirma Josecy.

  • 15 de março de 2021