Prefeitura e Secretaria de Educação anunciam parceria histórica com a Bienal do Livro

Publicado em 04/11/2021 - 14:23 | Atualizado em 04/11/2021 - 17:53
'A Bienal é um espaço, não só de sonhar, mas de realizações', disse o secretário Ferreirinha - Michell Albuquerque/Prefeitura do Rio

O secretário de Educação, Renan Ferreirinha, anunciou nesta quinta-feira (04/11) uma parceria histórica entre a Prefeitura e a Bienal do Livro, que vai permitir a participação gratuita no evento de 40.700 alunos da rede municipal de ensino, além de professores e servidores da educação.  A XX Bienal Internacional do Livro, que integra o Calendário Oficial da cidade, será realizada entre os dias 3 e 12 de dezembro, no Riocentro, com atividades presenciais e virtuais.

 

– A Bienal é o quarto maior evento da cidade do Rio de Janeiro, só perde pro Ano Novo, Carnaval e Rock in Rio. Para a gente, da Educação, é o mais importante de todos, disparado. Um espaço, não só de sonhar, mas de realizações – declarou o secretário, durante entrevista coletiva de lançamento do evento, no Hotel Fairmont, em Copacabana.

 

De acordo com Ferreirinha, este é um momento muito especial, não só pela volta da Bienal como grande parceira da Educação, mas com a maior parceria na história entre a Prefeitura e a Bienal.

 

– Isso para a gente é muito simbólico. Nossos alunos, nossos profissionais e nossas escolas precisam ter todo o nosso amparo – destacou.

 

A Secretaria Municipal de Educação (SME) vai disponibilizar para os alunos da rede de ensino uma estrutura necessária de transporte e alimentação.  Os 47.591 professores e servidores da educação na ativa que desejarem participar do evento deverão fazer um cadastramento prévio para ter direito à gratuidade.

O secretário informou ainda que cada aluno receberá R$ 20 para comprar livros na Bienal. Já os professores e servidores da educação cadastrados receberão R$ 200. Também serão disponibilizados, às 1.561 unidades administrativas (escolas, creches e núcleos de extensão) que compõem a rede municipal de ensino, valores que variam de R$ 1.000 a R$1.600 para a aquisição de livros para o acervo de cada unidade. Ao todo, mais de R$ 12 milhões estão sendo destinados à ação da SME.

 

– A gente precisa entender que o tempo de trevas ficou pra trás. E fiquem tranquilos, que essa Bienal será 100% ‘descrivellizada’.  A gente vai ter a Bienal representando cultura, diversidade e educação, porque isso é a cara do Rio de Janeiro – concluiu Ferreirinha.

 

Também participaram do evento o presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), Marcos da Veiga; a diretora da Bienal, Tatiana Zaccaro; e a fundadora do Projeto Mundo da Lua, a estudante Raíssa Luara, a “Lua”.

 

– Quero agradecer à Prefeitura e ao secretário Ferreirinha porque, desde o primeiro momento, sempre abraçaram esse projeto da Bienal – disse Marcos da Veiga.

 

A Secretaria de Educação também contará com um estande de 100 m² para apresentar suas iniciativas ao público durante o evento.

  • 4 de novembro de 2021