Prefeitura leva posto itinerante do SINE ao Degase

Publicado em 12/03/2019 - 15:39 | Atualizado
Dignidade e Esperança. Duas palavras que definem bem o trabalho dos profissionais da Subsecretaria de Trabalho e Qualificação, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento, Emprego e Inovação (SMDEI). Na última sexta-feira (08/03), a equipe montou um posto itinerante do Sistema Nacional de Emprego (SINE), na Escola João Luiz Alves (EJLA)uma das unidades do Degase, na Ilha do Governador. Mais de 30 jovens que cumprem medida socioeducativa de internação tiraram suas Carteiras de Trabalho e Previdência Social (CTPS).
Foto: Divulgação/SMDEI

 

Os adolescentes receberão as carteiras na próxima semana

Os adolescentes cumpriram os trâmites necessários para a emissão do documento e, já na próxima semana, receberão a carteira na própria unidade.  
“Ter a Carteira de Trabalho nas mãos representa uma grande motivação na busca de novas oportunidades para cada um desses jovens quando deixarem a unidade”, comemora o subsecretário de Trabalho e Qualificação, Leandro Pereira. 

Parceria entre SMDEI e Degase foi firmada em fevereiro

A ação é o resultado da parceria entre a SMDEI e o Degase, firmada em fevereiro. O trabalho acontecerá de forma contínua, de acordo com a necessidade da EJLA e outras unidades socioeducativas do Degase. Em abril, começam as inscrições para novas turmas do projeto Aprendiz na Medida. Esta é fruto de parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego. Uma das exigências é que os jovens tenham suas CTPS para serem assinadas desde o início do curso.
Nesta sexta (15), a equipe da subsecretaria retornará ao local, com toda a estrutura necessária para a confecção dos documentos, para realizar mais uma mobilização e atender mais um grupo de adolescentes.  

“A ressocialização e a cidadania andam juntas, por isso, contamos com os parceiros que tornam possível atingir nossa meta: providenciar toda a documentação básica aos jovens que ingressam no Degase para assim podermos garantir o acesso aos seus direitos e deveres”, afirmou o diretor adjunto da EJLA, Cristóvão Silva.