Temporada de cruzeiros no Rio deve movimentar economia em R$ 350 milhões

Publicado em 09/11/2022 - 17:34 | Atualizado

A nova temporada de cruzeiros, que vai do fim de outubro a maio de 2023, tem potencial para movimentar a economia carioca em cerca de R$ 350 milhões. O cálculo é da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, em parceria com a Secretaria Municipal de Turismo, com dados da Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (CLIA Brasil).

 

– O segmento de cruzeiros é muito importante para a retomada do turismo no Rio, sempre há um grande impacto econômico nas cidades em que os navios passam, sejam como escala ou para embarque/desembarque. Estamos trabalhando para que cada vez mais embarcações tenham a cidade em seus itinerários – afirmou o secretário de Turismo, Antônio Mariano.

 

São esperadas 37 embarcações gigantes, sendo 26 navios internacionais e 10 que irão aportar no Rio pela primeira vez. A previsão é de que, nessa temporada, 500 mil pessoas passem pelo terminal do Rio, sendo o maior movimento de passageiros de cruzeiros desde a temporada 2010/2011.

 

– O setor de turismo é um dos grandes vetores do desenvolvimento econômico do Rio. A temporada 2022/2023 de cruzeiros vai ser a maior dos últimos anos, contribuindo para aumentar a arrecadação da cidade, além de gerar emprego e renda para os cariocas – explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação do Rio, Chicão Bulhões.

 

A estimativa é de que cada passageiro gasta, em média, cerca de R$ 700 nos pontos de escala ou nas cidades de embarque e desembarque. O quantitativo de meio milhão de pessoas que vai passar no Rio deve gastar aproximadamente R$ 350 milhões na cidade. Vale ressaltar que ainda há o impacto indireto gerado pela vinda dos cruzeiros, como abastecimento (de comidas e combustível), impostos e empregos temporários.

Atenta à temporada de cruzeiros, a Prefeitura reuniu seus diferentes órgãos envolvidos, com o Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur), para traçar um plano operacional em conjunto. Desta forma, o turista que circular pela região portuária terá mais segurança não só pessoal, mas também ordenamento de trânsito e urbano.

Skip to content