Projeto Verão Verde se despede de Madureira nesta fim de semana com baile para a garotada

Publicado em 25/01/2022 - 19:23 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Projeto Verão Verde se despede de Madureira nesta fim de semana com baile para a garotada
Bailinho dos Crespinhos - Divulgação

O ônibus elétrico do projeto “Verão verde” se despede de Madureira neste fim de semana, com apresentação do Bailinho da Crespinhos, do coletivo Crespinhos S.A., neste sábado (29/01). A turminha faz seu batidão uma hora antes e durante a sessão das 11h30 do tour promovido pelas secretarias de Cultura e de Transportes, com o apoio da Riotur e da subprefeitura da Zona Norte. Atenção: em razão do aumento de casos de Covid-19, será exigido o comprovante de vacinação e o uso de máscara. O ônibus de baixa emissão parte do Parque Madureira às 10h, 11h30 e 15h deste sábado e do domingo. Ingressos gratuitos em bit.ly/busculturaa.

 

– O ônibus elétrico e cultural de Madureira ofertou à população um novo modo de andar e olhar a cidade. Um modo que mostra a beleza da identidade cultural do subúrbio e do carioca. E faz isso com cuidados de segurança e dedicação para entregar uma boa experiência cultural para os cariocas num momento tão difícil da pandemia. Esse é o papel da cultura – ressalta o secretário municipal de Cultura, Marcus Faustini.

 

Criado em 2015, o Bailinho da Crespinhos participou de festivais importantes, como o Latinidades em Brasília, além da Feira Preta, a maior da América Latina.

O circuito começa e termina na Arena Fernando Torres (Parque Madureira). São 10km durante 60 minutos, passando por Palácio 450; Portelinha/Feira das Yabás; Portela; CUFA/Viaduto Prefeito Negrão de Lima; Mercadão de Madureira; Estádio Aniceto Moscoso/Madureira Esporte Clube e Império Serrano.

A condução dos passageiros fica a cargo da Guiadas Urbanas, a primeira agência de turismo receptivo com atuação exclusiva no subúrbio carioca e em favelas. Karolynne Duarte e Vilson Luiz são técnicos e guias de turismo certificados pelo Ministério do Turismo.

– Começa pelas ruínas da casa de Paulo da Portela e chega à praça que também leva o nome dele, onde exaltamos traços da herança da história e cultura afro-brasileira – adianta Karolynne. – A confirmação de que é possível ter um turismo no subúrbio carioca de forma responsável e sustentável, a cada passeio mostramos a importância cultural e histórica dos bairros da Grande Madureira.

‘Zonas de Cultura’: Madureira pioneira, território de encantamento

A primeira cidade no Brasil a ter um ônibus elétrico em plena atividade cultural, o Rio aproveita para lançar o “Zonas de Cultura”, iniciativa da Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, para alavancar a criatividade em várias regiões da cidade. O programa vai injetar R$ 1,5 milhão em ações culturais única e exclusivamente em Madureira, o coração criativo da Zona Norte carioca.

Vinte dias, 74 viagens e quase três meses de “Verão verde” em Madureira. Um imenso impacto cultural, viagem com história, emoções, personagens. “Você sai tocado”, resumiu o produtor Marcus Galiña, depois da estreia com as escolas de samba mirim de Madureira: Império do Futuro (Império Serrano) e Filhos da Águia (Portela). “Grande poder de revitalização e encantamento dos territórios através de suas próprias histórias.”

Passaram pelo ônibus elétrico quase três mil pessoas, entre moradores, turistas, autoridades, artistas, influenciadores, educadores e agentes culturais.

Destaque para as Mulheres do Samba, com musicistas de rodas, que agitaram o rolê em dezembro. Mais de 30 mulheres cantando samba sobre quatro rodas. O grupo de maracatu Baque Mulher, este mês, fez bonito também.

Paulo da Portela, morto em 30 de janeiro, último dia do tour

Paulo da Portela, fundador da escola de samba que faz parte de seu nome, morreu em 30 de janeiro de 1949, e não no dia 31 como traz o Google. Quem descobriu foi a arquiteta e urbanista, Karolynne Duarte, que também é guia de turismo e mestranda do Curso de Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde, na FioCruz. Coincidentemente, era um domingo, como neste ano, o último dia do ônibus elétrico em Madureira.

– Descobri a data certa da sua morte ao ver a certidão de óbito no livro ‘Paulo da Portela: traço de união entre duas culturas’, de Marília Trindade Barboza da Silva e Lúcia dos Santos Maciel – diz Karolynne.

Paulo da Portela, segundo ela, inspirou o personagem Zé Carioca da Disney. História que se soma a tantas outras no tour cultural que se despede de Madureira.

  • 25 de janeiro de 2022