Peça sobre relações obsessivas estreia na Sala Municipal Baden Powell 

Publicado em 06/04/2022 - 09:30 | Atualizado em 05/04/2022 - 16:25

“Meu Coração (ou de carinho e de sexo)”, primeira peça de uma trilogia inspirada na composição “Carinhoso”, de João de Barro (1907-2006), estreia na sexta-feira (8/4), às 19h30, na Sala Municipal Baden Powell. O espetáculo permanece em cartaz até 1º de maio, com apresentações sextas, sábados e domingos, exceto nos dias 22, 23 e 24 de abril. Os ingressos podem ser retirados na bilheteria do teatro.

Escrito e dirigido por João Cícero, o texto inédito reflete sobre os limites éticos do amor a partir do desejo e das confusões afetivas que envolvem as relações humanas. A obra acompanha momentos significativos da relação de um casal de amantes ao longo dos anos, em um embate entre o real e o idealizado, entre o desejo e o medo, além de abordar temas como preconceito, violência e solidão.

No espetáculo, Wanda (Paula Furtado) e Claudemir (Carlos Augusto Marinho) mantêm uma relação clandestina e compartilham momentos afetuosos, violentos e confusos ao longo da vida.

 

– É a história de um amor que explode, amadurece e hesita frente aos desafios para alcançar sua plenitude – explicou João Cícero.

 

Diferentemente das peças de amor tradicionais, que priorizam histórias das classes sociais altas, o autor lança o olhar sobre personagens economicamente desfavorecidos. A partir de espaços sociais empobrecidos e pouco romantizados, a peça trata de questões universais do amor.

“Meu Coração (ou de carinho e de sexo)” é a primeira de uma trilogia sobre amores obsessivos, livremente inspirada na letra de Carinhoso, de João de Barro (1907-2006). As outras são “Meus Olhos (ou leituras pornográficas)” e “Lábios Meus (ou o leito de amor e morte)”, ainda sem datas para estreia. Em cada uma delas, uma relação amorosa obsessiva é discutida. Há também uma ligação do amor com uma doença corporal (no coração, nos olhos e nos lábios). As três peças constroem uma reflexão sobre limites éticos do amor em relações humanas e sociais da contemporaneidade.

João Cícero, autor e diretor

João Cícero é dramaturgo, diretor, historiador e crítico de teatro e arte. Em 2015, escreveu e dirigiu a peça “Sexo Neutro”, que cumpriu temporada no CCBB – RJ e foi indicada na categoria Melhor Dramaturgia ao Prêmio Questão de Crítica e ao Prêmio Cesgranrio. Em 2012, ganhou o prêmio literário por “As Chuvas de Janaína”, pela Biblioteca Nacional. Dirigiu e escreveu o musical infantil “Menininha”, que ficou em cartaz no CCBB – Rio e Brasília, no Oi Futuro BH, e fez turnê pelo Brasil participando do Projeto Palco Giratório do Sesc – Circulação Nacional. Escreveu e dirigiu a peça Batistério, que estreou no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, Rio, (fev/2017), e “Ossos ou o Salto de Prometeu”, que estreou no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, Rio (set/2018). É formado em Artes Cênicas – Teoria do teatro – UNIRIO/2007, Mestre em Artes Cênicas – UNIRIO/2009; e Doutor em História da Arte – PUC-RJ/2015. Foi professor de Artes Cênicas e de História da Arte, na faculdade Senai – CETIQT, e atualmente é professor e coordenador da Licenciatura em Teatro/Faculdade Cesgranrio.

Sala Municipal Baden Powell

Reduto icônico da bossa nova em Copacabana, a Sala Baden Powell foi inaugurada em 2000, no local do antigo cinema Ricamar. Seu patrono, Baden Powell de Aquino (1937-2000), mais conhecido por Baden Powell, foi um violonista considerado um dos maiores músicos brasileiros de sua época, além de um dos melhores violonistas de todos os tempos.

Desde 2012 sob a guarda da Prefeitura do Rio de Janeiro, o espaço mantém um teatro com 485 lugares, duas salas multiuso para músicos e ensaios, e um café no foyer. Palco de atrações de artistas brasileiros e estrangeiros, a Sala Municipal Baden Powell ficou famosa por, nos últimos anos, manter uma programação voltada para os idosos. Depois de fechar por quase dois anos por conta da pandemia, o teatro recebeu um tratamento cuidadoso para ser reaberto e entregue novamente à cidade. O equipamento gerido pela Secretaria Municipal de Cultura passou por obras de reparo em estruturas hidráulicas, limpeza, pintura, troca de vidros quebrados e comunicação visual. No dia 25 de março de 2022, um concerto gratuito da Orquestra Maré do Amanhã marcou a reabertura da casa. A peça “MEU CORAÇÃO (ou de carinho e de sexo)”, de João Cícero, faz parte da retomada das atividades de teatro no local.

 

Sala Municipal Baden Powell: Av. Nossa Senhora de Copacabana 360, Copacabana, perto da estação de metrô Cardeal Arcoverde. – 2547-9147. Sex e sáb, às 19h30, e dom, às 18h. Em cartaz até 1º de maio. Nos dias 22, 23 e 24/4 não haverá espetáculo. R$ 30. Maiores de 16 anos. Vendas na bilheteria do teatro

 

Ficha técnica 

Título: Meu Coração (ou de carinho e de sexo)

Texto e direção: João Cícero

Elenco: Carlos Augusto Marinho e Paula Furtado

Direção de arte: João Dalla

Iluminação: Rafael Sieg

Operação: Sandro Demarco

Trilha Sonora: Márcio Pizzi

Fotos: Sabrina Paz

Assessoria de Imprensa: Júnia Azevedo (Escrita Comunicação)

Produção: João Cícero e Gabriel Garcia

Apoio: Cantina Donanna, Rua Gastro Bar e Casa do Sardo

Duração: 75 minutos

Instagram: @espetaculomeucoracao

  • 6 de abril de 2022
  • Skip to content