Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica faz 23 anos com exposição, visita mediada, feira e show

Publicado em 10/09/2019 - 16:27 | Atualizado em 11/09/2019 - 13:55
Tobogã-Proposta-para-mobilidade-urbana-2012Tobogã-Proposta-para-mobilidade-urbana-2012

O Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica já começou as comemorações dos seus 23 anos. A festa teve início no último sábado, com a abertura da exposição “Gabinete de Soluções”, de Guga Ferraz. A mostra, com 21 obras, sendo uma inédita, busca dar outro significado à ideia de “gabinete de crise”, termo usado por autoridades para atender a demandas urgentes. O artista apresenta soluções para problemas urbanos e convida o público a fazer o mesmo. Além de projetos de intervenções na cidade, Guga apresenta desenhos, pinturas e esculturas, levantando questões como a violência urbana, problemas habitacionais, processos de exclusão na cidade e a relação entre o indivíduo e o meio urbano.

A exposição pretende tornar-se um lugar também de convívio e trocas com o encontro “Cidade Ocupada”, que acontecerá no dia 28 de setembro. Estarão presentes no bate-papo, os artistas Alexandre Vogler, André Amaral, Clara Zúñiga, Ducha e Ronald Duarte, além de Guga Ferraz e do curador Thiago Fernandes, que fará a mediação do evento. O nome do encontro é uma homenagem a Ericson Pires, falecido em 2012, artista importância para essa geração de artistas.

Aos sábados, em setembro

A comemoração continua nos próximos sábados do mês de setembro com exposições, feiras livres, seminários e até a distribuição de um bolo de mais de dois metros. No dia 14 de setembro, o Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica recebe a Mostra Marginal e, no dia 21, o lançamento dos editais de programação e residência artística para 2020. Para encerrar a programação, o último sábado do mês promove um dia de festa com a feira aberta Junta Local, com a intervenção de poetas periféricos do Slam Negritude, show de Jeza da Pedra, além de bolo para os visitantes.

Fundado em 1996, o espaço, que completa 23 anos, no dia 30 de setembro, recebeu até 2009 o acervo de Hélio Oiticica (1937-1980). O prédio histórico se destaca também por abrigar a primeira intervenção permanente do artista Richard Serra realizada na América Latina. Ao longo dos anos, exibiu mostras de artistas brasileiros e estrangeiros, expoentes da arte contemporânea, como Mira Schendel, Iole de Freitas, Sonia Andrade, Lygia Pape, Antonio Manuel, Daniel Buren, Luciano Fabro, Tehching Hshieh, entre outros.

O Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica funciona de segunda a sábado, das 12h às 18h, na Rua Luís de Camões, 68, Praça Tiradentes. A entrada é gratuita.

Datas e programação

14.09
– Sessão de Abertura Mostra do Filme Marginal;

21.09
– Lançamento dos editais AGAÓ 2020 e Programa Labirinto;
– Reinauguração da Residência Banca Carrocinha;
– Sessão Cine Clube;
– Interlocuções – Plataforma de Emergência – Martha Alkimin convida Leila Danziger;

28.09
– Visita mediada com todos os artistas em exposição (Guga Ferraz, Luiz Baltar, Denilson Baniwa, Laura Burroco, Paulo Vinícius e Vitória Cribb);
– Encerramento da exposição “Pretofagia”, do artista Yhuri Cruz com última apresentação da cena de mesmo nome;
– Seminário “Cidade Ocupada”, com Guga Ferraz;
– Bolo de aniversário;
– Feira Junta Local.

http://noticias.prefeitura.rio/cultura/homenagem-a-domingos-de-oliveira-tem-pecas-de-teatro-e-mostra-de-filmes-do-dramaturgo/