Millôr Fernandes é homenageado com instalação de placa no Arpoador

Publicado em 27/05/2022 - 18:15 | Atualizado
Placa em homenagem a Millôr Fernandes, no Arpoador - Divulgação

Um dos mestres da escrita e do humor, o carioca Millôr Fernandes foi homenageado nesta sexta-feira (27/05) com a instalação de uma placa no Largo do Millôr, no Arpoador, no trecho em frente à faixa de areia onde é praticado frescobol. Millôr foi pioneiro nesse esporte, criado em Copacabana em meados dos anos 1940 e sucesso nas praias até os dias de hoje.

A homenagem a Millôr, feita pela Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Conservação, lembra os dez anos sem o carioca, morto em 2012, e atende ao pedido de um grupo de amigos dele, liderados pelo jornalista Luiz Gravatá. Jornalista, dramaturgo, cartunista, tradutor, humorista, poeta, desenhista, pensador e aforista, Millôr Fernandes foi um dos fundadores do jornal O Pasquim e publicou mais de 30 livros. Seu humor ácido e sua visão cética do mundo estão presentes em obras como a peça “Liberdade, liberdade” e os livros “Fábulas fabulosas”, “Poesia matemática” e “A verdadeira história do Paraíso”.

Para a secretária Anna Laura Valente Secco, homenagear Millôr é manter viva a história carioca.

 

– Millôr Fernandes é uma figura importante para a cultura brasileira e um dos grandes nomes do Rio de Janeiro, que deixou sua contribuição não apenas nas letras e nas artes, mas também nas areias cariocas. Quem nunca jogou uma partida de frescobol na praia? – diz ela.

 

O subprefeito da Zona Sul, Flávio Valle, reforçou o compromisso da atual gestão municipal com a cidade e os cariocas:

 

– Sempre muito bom homenagear quem faz parte da nossa cultura e tanto contribuiu com seu humor inteligente, conjugando ironia e sátira, nas diversas situações. Feliz em pôr em prática um pedido dos amigos do Millôr.

 

Escultura interativa

Além da placa em homenagem a Millôr, também faz parte da paisagem do local a escultura criada pelo arquiteto e urbanista Jaime Lerner, cuja manutenção é de responsabilidade da Gerência de Monumentos e Chafarizes, vinculada à Conservação. A peça é formada por uma chapa de aço corten que traz a silhueta de Millôr Fernandes, em desenho de Chico Caruso. Um banco de madeira complementa o conjunto, tornando possível a interação com a obra, inaugurada em 2013.

  • 27 de maio de 2022