Ações da Secretaria de Conservação refletem o cuidado com a cidade

Publicado em 05/02/2021 - 15:29 | Atualizado em 05/02/2021 - 15:32
Equipe tapa buracos na cidade - Divulgação / Prefeitura do Rio

A Secretaria Municipal de Conservação fechou o balanço dos primeiros 30 dias de trabalho da atual gestão. Em janeiro, foram tapados mais de 10.400 buracos em toda a cidade, sendo 830 na Avenida Brasil e 638 ao longo das calhas dedicada aos BRTs TransOeste e Transcarioca. Para o serviço, foram produzidas 2,839 toneladas de massa asfáltica, divididas entre as usinas do Caju, de Jacarepaguá, Campo Grande e Santa Cruz, que fazem parte da Coordenadoria Técnica de Produção Industrial.

Dentro do programa de prevenção a enchentes, foram executados 5.895 serviços de limpeza e recuperação de bueiros e ralos, bem como desobstrução de 18 mil metros de galerias de águas pluviais. Vale lembrar que, até o mês de abril, além da rotina, as gerências de Conservação trabalham em esquema de plantão, ampliando as ações de drenagem e desobstrução, bem como eliminando bolsões em caso de alagamento.

Para Anna Laura Secco, secretária de Conservação, a atenção aos detalhes é o que faz a diferença no dia a dia dos cariocas:

– A conservação é feita de grandes ações que melhoram a vida na cidade e garantem um bom transcorrer do dia a dia dos cariocas. Mas também é feita dos pequenos cuidados e daqueles detalhes que trazem mais beleza à nossa rotina diária. Nossa missão é atuar de forma efetiva e eficiente nas ações de manutenção, sem esquecer de olhar para as belezas – sejam elas naturais ou em forma de monumentos, chafarizes, que tornam o nosso Rio de Janeiro tão especial.

Circular pela cidade também ficou mais suave. Foram 34.982 m² de pavimentação, o equivalente a 4,9 campos de futebol do Maracanã. Os pedestres puderam desfrutar da recuperação de 1.408 m² de calçadas, sendo 768,70 m² delas em pedras portuguesas, e se beneficiaram com a instalação de 2.418 metros de guarda-corpos e o restauro do portão do Jardim de Alah, em Ipanema. Além disso, foi feita a manutenção de 13 monumentos e chafarizes, como o chafariz do Largo do Machado, que estava sem funcionar desde 2017.

A Secretaria de Conservação também participou de ações conjuntas com as subprefeituras e outros órgãos municipais, como a Comlurb, a Fundação Parques e Jardins e a RioLuz. Entre os mutirões de serviços, destacam-se os realizados no Passeio Público, Campo de Santana e nas praças Paris, Xavier de Brito e Afonso Pena.

O combate a construções irregulares foi outra marca do primeiro mês da Seconserva. Em um total de 42 demolições, destacam-se a remoção de duas edificações em área pública, erguidas sobre o canteiro central perto da descida do viaduto da Mangueira, na Avenida Visconde de Niterói.

  • 5 de fevereiro de 2021