Operação integrada da Comlurb já fez 139 podas nas árvores da Lagoa

Publicado em 31/08/2021 - 15:30 | Atualizado
São usadas as técnicas mais adequadas de manejo nos cortes na vegetação - Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

A Comlurb prossegue, nesta quarta-feira (1º/09), a partir das 8h30, com a operação integrada de podas de árvores em todo o entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, com acompanhamento de engenheiros florestais da Companhia e iniciativa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. O serviço, que inclui a área do manguezal, sob a supervisão do biólogo Mário Moscatelli, responsável pela manutenção do espaço, terá 54 garis, divididos em cinco equipes que trabalham simultaneamente, com cinco caminhões de cesto aéreo, cinco caminhões para a remoção de galhadas e uma van. O cronograma teve início na quarta-feira passada, dia 25/08, com 139 podas e remoção de 9,3 toneladas de resíduos. A operação será feita sempre às quartas-feiras, durante cerca de três meses, e conta com apoio da Fundação Parques e Jardins e da Subprefeitura da Zona Sul, além de associações de moradores locais.

O trabalho conta com as técnicas mais adequadas de manejo, com cortes na vegetação em quatro regiões, para garantir segurança e harmonia entre ciclistas e pedestres, permitir a visibilidade do espelho d’água e fortalecer o ecossistema. Caso necessário, serão eliminadas árvores mortas ou com risco de queda, aquelas que tenham parasitas (como erva de passarinho) e espécies invasoras. A poda no manguezal está sendo realizada com esmero técnico, sempre sob a coordenação de Moscatelli, para garantir a biodiversidade associada aos manguezais e a sobrevida de animais como o caranguejo marinho e o frango d ‘água, que retornaram após o plantio da área.

A Subprefeitura da Zona Sul ficará em contato permanente com os moradores e acompanhará toda a execução do projeto. A poda das demais árvores será executada pelas equipes que trabalham com ações mecanizadas da companhia. Uma das maiores reclamações dos frequentadores da Lagoa é de que os galhos de mangue têm ocupado o espaço de lazer, chegando a impedir a passagem de pessoas.

Os trechos que estão recebendo as intervenções vão do Clube Piraquê à Paróquia São José da Lagoa, da Paróquia São José da Lagoa à sede náutica do Botafogo Futebol e Regatas, do Botafogo ao Parque da Catacumba e do Catabumba ao Clube Caiçaras. Como o espelho d’água da Lagoa é tombado, os trabalhos tiveram a autorização da Fundação Parques e Jardins, que dará todo o suporte técnico necessário durante a operação, seguindo o princípio da governança arbórea.

  • 31 de agosto de 2021