Comlurb promove palestras de conscientização sobre descarte correto de resíduos hospitalares

Publicado em 14/08/2019 - 10:34 | Atualizado
Caminhões da Comlurb: companhia faz conscientização sobre descarte de lixo hospitalar. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do RioCaminhões da Comlurb: companhia faz conscientização sobre descarte de lixo hospitalar. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio

A Comlurb iniciou esta semana uma série de palestras de conscientização sobre descarte correto de resíduos hospitalares para a área médica da rede municipal de saúde. A primeira unidade a receber a equipe foi o Hospital Municipal Nossa Senhora do Loreto, na Ilha do Governador. As palestras foram preparadas pelos gestores de resíduos biológicos da Comlurb Silvana Maximiano, Vanil Lopes, Josué Bastos e Marcos Firmino. A não separação correta dos resíduos hospitalares por médicos e enfermeiras acaba prejudicando o serviço de coleta da Companhia, além de trazer riscos para os garis que trabalham nessa área. As palestras serão realizadas nos hospitais da rede municipal que não estão segregando corretamente os resíduos, mesmo aqueles onde a Comlurb não realiza os serviços de limpeza e coleta.

A Comlurb atua com uma equipe de 529 garis, em sistema de plantão de 24 horas, na limpeza e coleta dos resíduos nos cinco maiores hospitais públicos municipais: Souza Aguiar, Miguel Couto, Lourenço Jorge, Salgado Filho e Hospital-Maternidade Leila Diniz. O trabalho da Companhia é citado como padrão no Manual de Segurança do Paciente em Serviços de Saúde 2010, da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Quase 60 toneladas de resíduos hospitalares por mês

Os garis fazem a limpeza e desinfecção de todos os mobiliários e paredes, tratamento de piso nas diversas unidades (UTIs, salas de cirurgia, laboratórios, emergências etc.), gerenciam os resíduos sólidos produzidos, além de realizar o controle de pragas (barata, ratos, aranha, formigas) nos hospitais. A Comlurb também fiscaliza o cumprimento das normas de segurança e a preocupação na prevenção da saúde dos trabalhadores.

Na área de coleta, 22 garis atuam no tratamento e disposição final dos resíduos biológicos e ainda orientam quanto à correta forma de separação desses materiais. Em média, são coletadas por mês nas unidades hospitalares 58,6 toneladas de resíduos.