Vigilância leva orientação sobre morcegos a moradores e vacina cães contra raiva na Freguesia, Ilha do Governador

Publicado em 27/11/2019 - 09:40 | Atualizado em 27/11/2019 - 09:44
Técnico da Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses municipal aplica vacina contra raiva em cão na Ilha do Governador. Foto: divulgaçãoTécnico da Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses municipal aplica vacina contra raiva em cão na Ilha do Governador. Foto: divulgação

A Subsecretaria municipal de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses do Rio realizou nesta terça-feira, 26, o monitoramento na Rua Comendador Bastos, na Freguesia, Ilha do Governador, onde um morcego morto foi encontrado no último dia 16. O corpo do animal foi recolhido e analisado, com diagnóstico positivo para raiva. Três técnicos do Centro de Controle de Zoonoses visitaram 16 residências em três ruas, levando orientações sobre higiene e outros cuidados para tranquilizar moradores e vacinando com a antirrábica 21 cães ainda não imunizados este ano.

– É a vacinação perifocal, feita no local e no entorno onde o animal foi encontrado, em uma ação de prevenção e sem motivos para pânico. Os morcegos são animais silvestres encontrados comumente no Rio, protegidos por lei e que não atacam. Esse mesmo coletado na Freguesia é da espécie frugívoro, que se alimenta apenas de frutas, e não de sangue. A coleta de morcegos mortos faz parte do monitoramento de zoonoses no município, dentro do Programa de Controle da Raiva do Ministério da Saúde – destacou a médica-veterinária Patrícia Nuñez,  coordenadora de Zoonoses da Vigilância Sanitária do Rio.

Além da Comendador Bastos, a equipe integrada pela médica-veterinária Eucy Galamba e por dois auxiliares de serviços veterinários percorreu a Rua Magno Martins e a Praia da Guanabara. Um dos moradores da casa onde o morcego morto foi coletado, Milton Andrade Lemme destacou a importância do trabalho da Vigilância.

– Muito importante receber essas orientações da Vigilância. E já vou providenciar uma delas: a iluminação nas árvores, para evitar a escuridão que cria ambiente que atrai morcegos – disse Milton.

Um milhão de doses de vacina contra raiva

Os dados do monitoramento de zoonoses são constantemente atualizados e disponibilizados no site da Vigilância Sanitária, com mapas e outras informações. O município não registra casos de raiva em humanos há 33 anos (desde 1986) e em cães e gatos há 24 anos (desde 1994). Os números são resultados de uma série de ações de controle adotadas pela Prefeitura, como a vacinação de cães e gatos.

– Em menos de três anos, aplicamos quase um milhão de doses da antirrábica em toda a cidade – informa Patrícia Nuñez, orientando a população a nunca nunca manipular o animal, caso encontre morcego vivo ou morto, e a fazer registro na Central 1746, que acionará a Vigilância para a coleta.