Representatividade é lema da nova diretoria do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher

Publicado em 30/01/2020 - 17:46 | Atualizado em 11/03/2020 - 13:44
Posse da nova diretoria do Conselho dos Direitos da Mulher (CODIM). Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do RioPosse da nova diretoria do Conselho dos Direitos da Mulher (CODIM). Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

Um vaso de flor para cada uma, além de sorrisos e poses para fotos. Foi assim a posse ontem (30/01) da nova diretoria do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Codim), no Palácio da Cidade, em Botafogo. São, ao todo, 22 novas conselheiras titulares, com representantes negras, de movimentos sociais, de pessoas com deficiência e da população LGBTQIA+. A entidade passa a ser presidida, até 2023, pela secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Tia Ju.

– Não preciso, como mulher, dizer a importância desse conselho, do quanto ele é fundamental para a liberação de políticas públicas – declarou Tia Ju, ressaltando que o Codim está “muito bem” representado. – Temos representatividade de todas as partes da sociedade. Isso dá muita alegria. É dali que partirão as políticas públicas.

Como é formado o Conselho?

Criado por meio da Lei 5.879/2015, o conselho é composto por representantes do governo municipal e da sociedade civil.

Qual é a missão do Codim?

O objetivo é fiscalizar políticas públicas que garantam ao público feminino uma perspectiva de autonomia e emancipação. Os integrantes do Codim devem, ainda, exigir o cumprimento da legislação que assegura os direitos das mulheres.
Em suas reuniões, os conselheiros discutem medidas que levem à promoção de saúde, moradia, educação, segurança e cultura.

– Estamos sempre juntas, umas pelas outras – destacou Tia Ju, sendo aplaudida pelo público que lotou o auditório no Palácio da Cidade.