Prefeitura retoma o agendamento das castrações nas unidades da Vigilância Sanitária

Publicado em 13/08/2020 - 16:04 | Atualizado
Interrompida em março por conta da pandemia, a marcação de cirurgias poderá ser feita por e-mail. Foto: Divulgação/Vigilância Sanitária

A Prefeitura do Rio, por meio da Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses, retomou nesta quarta-feira (12/08) o agendamento para a castração de cães e gatos nas duas unidades de atendimento veterinário da pasta vinculada à Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Para agilizar o serviço  suspenso desde março por conta da pandemia da Covid-19, a marcação das cirurgias para o Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman (IJV) e o Centro de Controle de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho (CCZ) será feita, neste primeiro momento, pelos e-mails castracaoijv@gmail.com e castracao.visa.ccz@gmail.com, para até três castrações por CPF.

A Vigilância Sanitária também trabalha no desenvolvimento de um sistema com a Empresa Municipal de Informática (IplanRio) para que, em breve, o agendamento seja feito totalmente on-line. Entre outras medidas adotadas para atender a grande demanda do serviço e evitar aglomeração, as cirurgias voltam a ser realizadas durante todo o dia, das 8h às 17h, de segunda a sábado, dia exclusivo para a castração de gatos, com limite de 70 felinos. E mais: com direito à chipagem e cadastro no Registro Geral de Animais (RGA).

— A castração é uma importante ação de política pública de saúde animal e de toda a coletividade. Previne a multiplicação sem controle dos animais, demonstra a posse responsável e evita a transmissão de doenças e maus-tratos e abandono, crimes com sanções previstas no novo Código de Defesa de Animais do município. Retomamos o agendamento a todo o vapor, agora com marcação por e-mail para evitarmos a aglomeração. Vamos com toda a segurança e facilitando o acesso à população, com direito à chipagem e o cadastro no RGA, que permite, por exemplo, a localização dos pets que se perdem de seus donos — afirma a médica-veterinária Márcia Rolim, subsecretária de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses.

Como a cidade vive ainda um momento de pandemia, os demais serviços das unidades de zoonoses da Vigilância continuam reduzidos, atendendo ao Decreto Rio 47.246 que estabelece medidas de  enfrentamento à Covid-19. Em condições normais, o IJV e CCZ fazem juntos até 2.500 castrações por mês, recebendo mais de 500 usuários por dia. A Vigilância Sanitária reforça que, também por precaução, os portões das duas unidades são mantidos fechados, com entrada controlada e restrita a menores de 12 anos.

Centro de Imagem – No processo de ampliação dos serviços veterinários, as duas unidades ganharam esta semana equipamentos de ultrassografia, ecocardiograma e Raio-x digital, para dianósticos por imagem. “Com esses novos equipamentos, o Rio de Janeiro é, sem dúvida, o município mais bem aparelhado em termos de diagnóstico por imagem de todo o país, oferecendo serviços de ponta na Zona Norte e na Zona Oeste da cidade”, disse a subsecretária Márcia Rolim.

O que está funcionando no CCZ e no IJV

Clínica Médica

– O IJV faz consultas diariamente, a partir da distribuição de 30 senhas.

– No CCZ as consultas de clínica geral não foram retomadas.

Clínica de Esporotricose

– O tratamento da esporotricose (zoonose transmitida ao homem por animais, principalmente gatos) é feito com 25 senhas por turno no IJV, e 40 por turno no CCZ.

– No primeiro atendimento, é possível atender até cinco animais por CPF em cada uma das unidades. A medida é uma forma de facilitar o acesso a este importante serviço.

Atendimento 1746

– A Vigilância Sanitária mantém os serviços de remoção de cavalos e outros animais de grande e médio portes de vias públicas, assim como as carcaças de morcegos, macacos e micos.

– O atendimento a animais agressores e investigações caninas para leishmaniose são avaliados caso a caso.

Endereços

O Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman (IJV), funciona na Avenida Bartolomeu de Gusmão, 1.020, em São Cristívão, no Complexo Zona Norte da Vigilância, e o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) fica no Largo do Bodegão, 150, em Santa Cruz, no Complexo Zona Oeste do órgão.