Município inaugura Museu da Vigilância Sanitária e comemora recorde de licenciamentos

Publicado em 31/01/2020 - 12:59 | Atualizado em 31/01/2020 - 19:01
O novo Museu da Vigilância Sanitária, em Botafogo. Foto: Marina Ramos/Prefeitura do Rio

O prefeito Marcelo Crivella inaugurou nesta sexta-feira (31/01) o Museu Histórico Sanitário Municipal Júlio de Azurém Furtado, com mais de 200 peças na exposição permanente “De 1917 a 2019: mais de 100 anos de história”. No evento, também celebrou-se o primeiro ano de vigência do Código Sanitário do município com um recorde: neste período, foram emitidos 77 mil novos licenciamentos, um crescimento de quase 800% em relação aos 9,7 mil registrados nos dois últimos anos da gestão anterior .

– Só no ano passado, fizemos o registro de 77 mil licenciamentos, quando em 2016 foram apenas seis mil. As farmácias, os bares, os restaurantes, os supermercados estão aqui para prestigiar este evento. Quero parabenizar Márcia Rolim (subsecretária de Vigilância Sanitária) e Bia Busch (secretária municipal de Saúde) por este trabalho espetacular – afirmou Crivella: – São produtos que vão chegar às pessoas, sejam remédios ou alimentos. Isso é uma grande vantagem para a Cidade do Rio de Janeiro. É um grande marco que se acrescenta ao patrimônio, à civilização carioca – complementou o prefeito.

Curiosidades sobre o novo museu

O novo museu, na Avenida Pasteur, em Botafogo, conta a evolução das ações de vigilância sanitária e no combate a zoonoses na cidade, por meio de fotografias, ferros de marcação de gado, documentos e algumas curiosidades, entre elas uma ovelha de duas cabeças conservadas em formol. A exposição vai integrar as atividades educativas dos alunos da rede municipal de ensino, com visitas guiadas, de terça a sexta, das 9h às 16h.

Peças e curiosidades em exibição no Museu da Vigilância Sanitária. Foto: Mariana Ramos/Prefeitura do Rio

Com novo Código Sanitário, recordes de licenciamento são quebrados

O início da vigência do novo Código Sanitário foi marcado pela adesão das empresas ao processo de licenciamento mais ágil, o que  impulsiona a economia do Rio. Em 2019, a Vigilância Sanitária registrou 77 mil novos licenciamentos: em 2017, foram 15.703 e em 2018, 17.210. Nestes três anos da atual gestão, são, portanto, quase 111 mil licenças concedidas, um aumento de mais de 1.000% em relação aos dois últimos anos da gestão anterior.

– A participação do empresariado ajuda a confirmar os avanços e ganhos conquistados pela atual gestão – afirma Márcia Rolim.

Vigilância Sanitária do Rio é a melhor do país, dizem empresários

Em nome dos empresários que participaram do evento desta sexta-feira, o presidente da Associação de Farmácias do Estado do Rio de Janeiro, Luís Marins, elogiou o trabalho desenvolvido pela Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses.

– Nós empresários da Cidade do Rio de Janeiro estamos aqui hoje comemorando. Nosso segmento, durante muitos anos, era de estabelecimentos legalizados que viviam na ilegalidade. Muitas vezes, éramos penalizados pela ineficiência do poder público. E hoje o Município do Rio de Janeiro é uma referência nacional pelo trabalho que tem sido desenvolvido. Hoje, no Rio de Janeiro, temos certamente a melhor Vigilância Sanitária do país.