Prefeitura inaugura mais um tomógrafo no Hospital Miguel Couto e entrega 27 novos equipamentos para unidades de saúde da Zona Sul

Publicado em 12/08/2020 - 11:51 | Atualizado em 12/08/2020 - 11:51
Zona Sul tem três novos aparelhos de tomografia e uma ressonância magnética. Foto: Mariana Ramos/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, inaugurou nesta quarta-feira, 12/08, mais um tomógrafo no Hospital Miguel Couto, na Gávea, e entregou 27 equipamentos para as unidades de Atenção Primária da Zona Sul. O aparelho de tomografia é o segundo instalado no hospital em 15 meses. O equipamento de 128 canais custou U$ 950 mil e tem capacidade para realizar exames de alta resolução fundamentais para diagnóstico de doenças como a Covid 19.

— Nos melhores hospitais dos Estados Unidos, da Alemanha ou da França o tomógrafo é igual a esse e ao que temos na entrada da Rocinha. Isso representa um passo gigantesco em termos de cidadania, respeito ao povo. Isso é cuidar das pessoas, que sempre foi nosso objetivo — afirmou Crivella.

O complexo hospitalar da Zona Sul ganhou, nos últimos três anos, mais de 200 equipamentos para o Hospital Miguel Couto e para o CER Leblon, incluindo uma ressonância magnética, a primeira da rede municipal do Rio – com cerca de 700 exames já realizados. Além disso, a Rocinha conta, desde de junho, com um centro de imagem e um tomógrafo. Juntos, os aparelhos já realizaram mais de 35 mil exames.

Reforço na Atenção Primária

Com a entrega dos 27 equipamentos nesta quarta-feira, serão beneficiadas 13 unidades — entre clínicas da família, centros municipais de saúde e policlínica na Zona Sul. São 16 desfibriladores, cinco focos cirúrgicos, três aparelhos de ultrassonografia e três aparelhos de eletrocardiograma.

Na atual gestão, o Hospital Miguel Couto também ganhou um microscópio oftalmológico que permitiu a realização de 620 cirurgias de catarata. O centro cirúrgico foi modernizado com a troca dos carros de anestesia, mesas e focos cirúrgicos. A unidade participou do mutirão de ortopedia – com 183 cirurgias. Em junho, o hospital e o CER receberam mais 143 novos equipamentos.

Compromisso com a saúde

A Prefeitura do Rio fez o maior investimento de todos os tempos na renovação tecnológica das unidades da rede municipal de saúde Os itens adquiridos são fruto de um investimento de R$ 370 milhões no qual foram comprados 18 mil itens, entre eles 27 tomógrafos e 726 respiradores. Do total de tomógrafos comprados, um foi doado para o Hospital Mario Kroeff – especializado em tratamento do câncer, três estão em fase final de obras para começar a funcionar e 23 estão em pleno funcionamento e já realizaram 205 mil exames.

— Essa compra beneficiou a cidade em grande escala, principalmente por conta dos respiradores e monitores, que nos proporcionaram atendimento nessa época da Covid-19. Com eles, conseguimos atender não só ao Rio, mas a 25 municípios do nosso estado para que tivessem mais recursos diante da pandemia — destacou a secretária municipal de Saúde, Beatriz Busch.

Unidades que já tiveram entregas

Já receberam os equipamentos comprados recentemente para modernização do parque tecnológico os hospitais Ronaldo Gazolla, de campanha, Evandro Freire, Barata Ribeiro, Miguel Couto, Salgado Filho, Rocha Faria, Pedro II, Lourenço Jorge, Rocha Maia, Jesus, Francisco da Silva Telles, Albert Schweitzer, Souza Aguiar, Nossa Senhora do Loreto, Piedade; as maternidades Leila Diniz, Fernando Magalhães, Maria Amélia Buarque de Hollanda, Herculano Pinheiro, Alexander Fleming, Mariska Ribeiro, Carmela Dutra; os CERs Barra, Leblon, Centro, Campo Grande, Santa Cruz, Realengo e Ilha do Governador; e as unidades de atenção primária da região da Grande Tijuca, Centro da cidade; Barra e Jacarepaguá e da Leopoldina.

Sobre a Área de Saúde 2.1 – Zona Sul

A Área Programática 2.1 abrange os bairros de Flamengo, Glória, Laranjeiras, Catete, Cosme Velho, Botafogo, Urca, Humaitá, Leme, Copacabana, Ipanema, Leblon, Lagoa, Jardim Botânico, Gávea, Vidigal, São Conrado e Rocinha.

Ao todo, 638.050 mil pessoas são beneficiadas com a oferta de saúde da rede da SMS. São 22 unidades, sendo três hospitais (Miguel Couto, Rocha Maia e Philippe Pinel); um centro de emergência regional (CER Leblon); uma UPA (Rocinha), quatro clínicas da Família, nove centros municipais de saúde, três centros de atenção psicossocial (CAPS) – incluindo um infanto-juvenil; e uma policlínica, além de 56 equipes de estratégia Saúde da Família,

Somente na Atenção Primária, em média, são realizados por mês 42.600 consultas médicas e de enfermagem, mais de 13 mil visitas domiciliares, mais de 400 mil exames laboratoriais e aproximadamente 600 exames de imagem, além de outros 45 mil atendimentos.