Prefeitura faz nova inspeção em centros de treinamentos de futebol

Publicado em 25/06/2020 - 21:25 | Atualizado
A fiscalização volta hoje ao centro de treinamento do Botafogo. Crédito: Divulgação / Prefeitura

A Prefeitura do Rio, por meio da Subsecretaria de Vigilância Sanitária, retorna nesta sexta-feira, 26/06, a três dos sete centros de treinamento de clubes de futebol carioca vistoriados na última terça, 23/06. Serão inspecionados novamente o Vasco da Gama, Portuguesa e Botafogo. Fiscais vão conferir se as exigências feitas com base em protocolos higiênico-sanitários de prevenção e combate à Covid-19 estão sendo cumpridas. O túnel de desinfecção no estádio Nilton Santos (Engenhão), a falta de dispensadores de sabão líquido e de álcool 70% em gel para a higiene das mãos em áreas de circulação do estádio São Januário e a ausência de demarcação de espaços nos vestiários do estádio da Ilha do Governador estão entre as irregularidades que resultaram em multas e serão verificadas nesta segunda fiscalização.

 

Ainda nesta sexta-feira, 26/06, a Vigilância Sanitária fará palestra on-line para reforçar o protocolo específico de futebol, esclarecer possíveis dúvidas sobre as Regras de Ouro e demais medidas preventivas. A webinar começa às 11h, para gestores e integrantes dos três clubes que serão inspecionados e dos outros quatro que não tiveram exigências na vistoria anterior: Fluminense, Flamengo, Madureira e Bangu.

 

Primeira inspeção – Na vistoria do último dia 23/06, apenas o Flamengo estava em conformidade com as normas sanitárias. No Vasco, os fiscais aplicaram infração por falta de licença sanitária (no valor de R$ 2.700) e por descumprimento do Protocolo de Prevenção á Covid-19, como a falta de higiene e de divulgação das Regras de Ouro, o que representa multa gravíssima, de R$ 13 mil, também aplicada à Portuguesa e ao Botafogo.

– A inspeção foi feita na terça-feira e as exigências são referentes ao cumprimento do protocolo sanitário, incluindo as Regras de Ouro. São medidas simples de serem adotadas e o tempo que demos é suficiente para os clubes atenderem e terem o jogo já no domingo – disse o engenheiro João Telles, coordenador de Engenharia da Vigilância Sanitária, à frente das inspeções nos centros de treinamento.