Prefeitura do Rio entrega cestas básicas para profissionais do sexo, comerciantes e moradores da Vila Mimosa nesta quinta( 28)

Publicado em 04/06/2020 - 18:54 | Atualizado
A intenção é garantir a segurança alimentar das mulheres, muitas delas já sem emprego, moradoras da comunidade. - Foto: Ascom/ Prefeitura Rio

As doações foram entregues pelo Coordenador Especial da Diversidade Sexual, Nélio Georgini, e pela secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Tia Ju, na zona de prostituição.

Nesta quinta-feira (04/06), a Prefeitura do Rio, por meio da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual( CEDS Rio) em conjunto com a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos( SMASDH) entregou 184 cestas básicas, 1104 sabonetes, 552 máscaras de proteção e 184 repelentes para a Associação de Moradores do Condomínio e Amigos da Vila Mimosa (AMOCAVIM).

As cestas vão atender às profissionais, moradoras e trabalhadoras da Vila. A intenção é garantir a segurança alimentar destas mulheres, muitas delas já sem emprego, moradoras da comunidade outras com seus negócios fechados.

A solicitação de auxílio foi enviada por meio da assistente social Cleide Almeida, que atende à Vila Mimosa, e busca ajudar às profissionais que atuam na região e, comerciantes, que estão em situação de vulnerabilidade diante da crise da Covid-19.

– Estivemos inúmeras vezes na Vila Mimosa promovendo ações de prevenção às infecções sexualmente transmissíveis com a distribuição de preservativos e materiais de informações. Nesse momento, além das ações de saúde, essas pessoas precisam de mantimentos, itens básicos de higiene e máscara de proteção- explica o coordenador Nélio Georgini.

Para Tia Ju é importante entender o potencial que existe em cada uma das pessoas que ali estão.

– Muitas delas já saíram da prostituição, sabemos do potencial de cada uma e queremos fortalecer e apoiar estas mulheres. Sei que várias já tiveram capacitação profissional, nas áreas da moda e beleza. Temos que trazer o alimento, mas oferecer também oportunidade de empregabilidade no mercado de trabalho – ressalta a Secretária.

A CEDS Rio também disponibilizou 5 mil kits de prevenção(camisinha, gel lubrificante)e material informativo sobre às infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

A ação contou com apoio de Leandro Osny Ribeiro, da II Região Administrativa do Centro, da Guarda Municipal, do 6º BPM, e da gerência da COMLURB da Praça da Bandeira.

Segundo a Secretária Tia Ju, “é preciso garantir a dignidade a essas mulheres e seus filhos, nesse momento delicado”.

– As moradoras que trabalham na Vila Mimosa e que são atendidas pela AMOCAVIM, tiveram seus negócios diretamente afetados pela crise gerada pelo COVID-19. E sabemos que, neste momento, estas mulheres estão entre as que mais sofrem, com os estigmas e a exclusão. Muitas delas são chefes de família e tiveram que suspender seus serviços, para garantir a quarentena – ressaltou Tia Ju.

Segundo a tesoureira a AMOCAVIM, Cleide Almeida, a Vila Mimosa já vinha sofrendo paralisações nas suas atividades desde dezembro do ano passado, por conta da CPI do Incêndio que limitou o funcionamento do local até que fossem feitas adequações às normas de segurança que foram requisitadas.