Prefeitura do Rio começa plantio de floresta nativa em novo parque no Morro do Pasmado

Publicado em 24/09/2020 - 16:50 | Atualizado em 25/09/2020 - 10:47
  • Início/
  • /
  • Prefeitura do Rio começa plantio de floresta nativa em novo parque no Morro do Pasmado
A segunda fase do projeto de requalificação ambiental do Morro do Pasmado plantou 720 mudas de espécies da Mata Atlântica e do Oriente Médio. Crédito: Divulgação/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, começou nesta quinta-feira, dia 24/09, a segunda fase do projeto de requalificação ambiental do Morro do Pasmado, plantando 720 mudas de espécies da Mata Atlântica e do Oriente Médio.

Desde o início de julho, a Prefeitura do Rio começou um projeto de reformulação ambiental do Morro do Pasmado com o objetivo de substituir a floresta de espécies exóticas que, há anos, impede a regeneração natural da Mata Atlântica no local e obstrui a visão panorâmica do mirante.

Nos últimos dois meses o trabalho se concentrou em remover a floresta exótica e o lixo orgânico acumulado na vegetação com grandes focos de mosquito. Agora começa a fase de plantio, preparando o ambiente para a inauguração, em dezembro, do Memorial às vítimas do Holocausto, construído no local.

O monumento contará com uma edificação de 1,6 mil metros quadrados que terá galeria circular de memória do Holocausto e espaço para exposições, além de um obelisco de quase 20 metros de altura. O projeto de requalificação ambiental fará uma reforma completa do Parque Yitzhak Rabin, assim batizado em memória do Prêmio Nobel da Paz e ex-Primeiro Ministro de Israel.

– O Memorial do Holocausto ganha agora uma área externa com trilhas e bosques cheios de significados simbólicos com essa importante requalificação ambiental, que vai trazer de volta as pessoas para frequentarem um parque muito mais equilibrado ecologicamente, destacou o secretário Municipal de Meio Ambiente, Bernardo Egas, que esteve no Pasmado para inspecionar o início do plantio junto com o responsável pelo projeto, engenheiro Salvador Sá.

A requalificação do parque prevê a criação de dois novos bosques; a construção de uma trilha rústica de 400 metros circundando o Memorial do Holocausto; O plantio de 600 mudas de espécies da Mata Atlântica, no bosque do setor sul ao longo da trilha; criação de três corredores visuais com visão panorâmica da enseada de Botafogo e do Pão de Açúcar nas faces norte e leste; e plantio de 6 mil mudas na face norte e leste, substituindo a floresta de espécies exóticas, que foi removida.

Os dois novos bosques – o de Israel e das Oliveiras – vão receber 120 mudas de espécies representativas do Oriente Médio, como Oliveiras, Cedro-do-Líbano, Tamareiras e Figueiras. Além disso, o projeto do novo parque prevê também ornamentação florística em alguns pontos. Como no entorno do Memorial, haverá uma moldura florística com o plantio de Lantanas, espécies muito resistentes a longas exposições ao sol. E em torno do obelisco do Memorial, 20 mudas de Ipê branco para compor a ornamentação.

Os corredores visuais não terão plantio de espécies arbóreas, como no antigo Mirante do Pasmado, justamente para não fechar a paisagem dos usuários da trilha. Em seu lugar, serão plantadas espécies de porte baixo como bromélias, bouganvilles e alamandas, espécies nativas cariocas. Nas margens da trilha serão plantadas espécies frutíferas nativas com o objetivo de proporcionar aos visitantes uma experiência gustativa e visual. Na face sul do parque serão plantadas 200 mudas de orquídeas e bromélias cariocas além de heliconias e mudas de espécies frutíferas.