Patrulhamento da Guarda Municipal com auxílio de câmeras na orla supera 2,8 mil ações preventivas em um ano

Publicado em 09/03/2020 - 11:47 | Atualizado em 09/03/2020 - 11:58
Criado em janeiro de 2017, serviço utiliza as câmeras da Prefeitura do Rio para coibir a ocorrência de delitosCriado em janeiro de 2017, serviço utiliza as câmeras da Prefeitura do Rio para coibir a ocorrência de delitos. Foto: divulgação

A Guarda Municipal do Rio de Janeiro registrou 2.826 ações preventivas de controle de delitos em 2019 por meio do monitoramento das câmeras da Prefeitura. O serviço é feito pela equipe do Núcleo de Videopatrulhamento, que funciona no Centro de Operações (COR), na Cidade Nova. Os agentes que atuam nas ruas contam com o suporte contínuo da equipe que monitora cerca de 80 câmeras redirecionadas para reproduzir imagens do calçadão e da faixa de areia, com foco na segurança de pedestres, banhistas e turistas. Ao todo, foram feitos 2.762 acompanhamentos pelas câmeras de suspeitos de roubos e furtos na orla da Zona Sul da cidade.

– É um serviço que tem dado bons resultados para a segurança dos cariocas e turistas. Muitos crimes são evitados no dia a dia após o acionamento das equipes da Guarda Municipal e da Polícia Militar – afirma a comandante da Guarda Municipal, inspetora geral Tatiana Mendes.

Em 2019, o serviço resultou na prisão de cinco dos 65 suspeitos de crimes detidos pela Guarda Municipal na Zona Sul. Em três anos de funcionamento, o Núcleo de Videopatrulhamento já acompanhou mais de 7.400 pessoas em atitude suspeita. A ação resultou na abordagem de 135 pessoas e 17 prisões por crimes de roubo ou furto.

– O monitoramento atua de forma preventiva, na busca de elementos suspeitos, com comportamento semelhante ao de meliantes que costumam cometer delitos. De posse das imagens, informamos aos agentes de segurança próximos com a finalidade de acompanhar e até abordarem os mesmos, e com isso ter uma ação preventiva. Nossa função principal é evitar que o delito aconteça – explicou o gerente do Centro de Controle Operacional da Guarda Municipal, inspetor Ricardo Dias da Silva.

Que outra função tem o videopatrulhamento?

Além das ações de segurança para coibir delitos, o Núcleo de Videopatrulhamento também atua no controle urbano da orla. Em 2019, com o auxílio das câmeras, foram identificadas irregularidades que resultaram na apreensão de 3.061 itens com ambulantes não autorizados. As câmeras também foram usadas para auxiliar os guardas do Grupamento Especial de Praia e Marítimo (GPM) na fiscalização das posturas municipais.

 

Serviço com câmeras na orla existe desde 2017. Foto: divulgação
Serviço com câmeras na orla existe desde 2017. Foto: divulgação

 

Desde quando existe o serviço com câmeras?

O Núcleo de Videopatrulhamento foi implantado em janeiro de 2017, como parte do Plano de Prevenção contra Pequenos Delitos e Arrastões nas Praias. Elaborado pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), o serviço funciona no Centro de Operações Rio (COR).

São hoje 80 câmeras da Prefeitura, e os guardas municipais têm acesso a todas elas. Os flagrantes de crimes são cedidos regulamente à Polícia Civil, para auxiliar no registro de ocorrências nas delegacias.