Operação Restauração Prainha-Grumari começa com fiscalização e orientação a frequentadores da área

Publicado em 23/01/2021 - 10:56 | Atualizado em 23/01/2021 - 20:48
Meio Ambiente faz fiscalização aos acessos de Grumari e da Prainha - Divulgação / Prefeitura do Rio

Agentes da Prefeitura do Rio iniciaram nas primeiras horas da manhã deste sábado (23/01) uma ação de combate a irregularidades e à desordem pública na Prainha e em Grumari, Zona Oeste da capital. O trabalho foi feito por meio das secretarias de Meio Ambiente e de Ordem Pública (Seop), da Guarda Municipal, da CET-Rio e da Subprefeitura da Barra.

Uma nova sinalização mostrava aos visitantes a lotação dos estacionamentos dos santuários. Em caso de preenchimento de 800 vagas (600 em Grumari e 200 na Prainha), uma cancela é fechada, não permitindo mais a entrada de carros. A medida pode ser implantada aos sábados, domingos e feriados, a partir das 8h. A operação da sinalização fica a cargo da Guarda Municipal, orientada pelos gestores dos parques.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere, destacou o caráter especial da Prainha e de Grumari, protegidos por unidades de conservação há 22 anos. Ele acrescentou que os espaços vêm sofrendo bastante com usos incompatíveis com a conservação. A região tem quase 270 espécies de aves e expressiva presença de espécies endêmicas da Mata Atlântica (que só ocorrem naquele local) ou ameaçadas de extinção.

A operação Restauração Prainha-Grumari contou neste sábado com a participação de 16 agentes de trânsito da Prefeitura, da Guarda Municipal e da CET-Rio, em quatro carros e quatro motocicletas, que trabalharam para manter a fluidez, monitorar e prestar as informações sobre o desvio aos frequentadores.

O Centro de Operações da Prefeitura (COR) monitorou por meio de câmeras todo o entorno da área interditada e os desvios montados.