Ministro da Saúde visita Hospital de Campanha da Prefeitura, no Riocentro

Publicado em 08/05/2020 - 16:08 | Atualizado em 08/05/2020 - 16:37
O ministro da Saúde, Nelson Teich, visitou o hospital de campanha e se disse impressionado com a nova unidade hospitalar de socorro a infectados por Covid-19. Foto: Edvaldo Reis/ Prefeitura do Rio
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, recebeu nesta sexta-feira (08/05) a visita do ministro da Saúde, Nelson Teich. Juntos eles vistoriaram o trabalho no Hospital de Campanha da Prefeitura, no Riocentro. Na ocasião, o município entregou mais 20 respiradores e 40 monitores para a unidade de saúde, o que aumenta a sua capacidade de atendimento.
– Estamos nessa visita para unir forças. É uma reunião de trabalho. Em cada lugar que vamos, aprendemos mais. O Ministério da Saúde está próximo à população do Rio. Vamos trabalhar sempre juntos, com um sistema integrado. Temos protocolos criados para ajudar – disse Nelson Teich.
Visita de Nelson Teich foi também para mostrar cooperação entre o município, o estado e o Governo Federal. Foto: Edvaldo Reis/ Prefeitura do Rio
União no combate à Covid-19
Crivella afirmou que é uma honra receber o ministro da Saúde e que, juntos, fizeram uma análise da atual situação causada pela Covid-19.
– Foi uma visita para mostrar cooperação entre o município o estado e o Governo Federal. O ministro nos informou que está abrindo um cadastro, para atender o Brasil inteiro, de 800 mil profissionais da saúde inscritos. Eles nos ajudarão muito – contou o prefeito.
Ele e o ministro conversaram sobre a abertura de mais leitos no estado do Rio de Janeiro, tanto na rede municipal quanto nas redes estadual e federal.
– Falamos sobre abertura de leitos. E mais serão abertos, além dos que já estamos abrindo. Mas é preciso entender que os leitos que alegam estar vazios, não estão. Precisamos de tê-los reservados para outros tipos de pacientes que necessitam. E também é preciso da retaguarda de UTI para que esses leitos sejam usados, pois o paciente da Covid-19 precisa dessa retaguarda – analisou Crivella.
Mais respiradores vindos da China
Os 20 respiradores e os 40 monitores, comprados na China pela Prefeitura, chegaram nesta madrugada em um voo da Vale, que pousou em São Paulo. A Polícia Rodoviária Federal escoltou o material até o Riocentro.
– Nessa quinta-feira (07/05), saiu do Rio de Janeiro o primeiro dos seis voos fretados pela Prefeitura junto à LATAM com destino à China para trazer 160 toneladas de equipamentos adquiridos pelo município. Serão 320 respiradores em uma semana – explicou Crivella.
Na terça-feira (12) pela manhã pousa no Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão a primeira remessa desse material. E na quarta-feira (13), chega outra.
Tomógrafos para o diagnóstico
Mais cedo, em Del Castilho, na Zona Norte, o prefeito inaugurou o primeiro tomógrafo da Policlínica Rodolpho Rocco. O moderno aparelho, de alta resolução, é fundamental nos diagnósticos e tratamento da Covid-19. O equipamento, que custou U$ 950 mil, pode fazer até 1.200 exames por mês, em média.  O tomógrafo vai atender todo o Complexo do Alemão.
A prefeitura já instalou tomógrafos na Rocinha, na Cidade de Deus e no Hospital de Campanha, no Riocentro.  Outros dois equipamentos serão inaugurados nas Policlínicas Lincoln de Freitas Filho, em Santa Cruz; e Manoel Guilherme da Silveira Filho, em Bangu. Ao todo, foram comprados 27 tomógrafos para a cidade do Rio.
Número de falecimentos
De acordo com o prefeito, a informação de que o Rio ultrapassou São Paulo em números de óbitos está errada.
– Importante esclarecer que não houve 155 óbitos em 24 horas na cidade. A maior parte nos óbitos confirmados aconteceu no mês de abril. O que ocorreu foi que o sistema fez uma leitura de vários dias do mês de abril e contabilizou tudo de uma vez, após a confirmação da doença nos pacientes – explicou Crivella.
O prefeito, no entanto, afirmou acreditar que com todos os equipamentos recém-chegados à cidade e com o apoio do Governo Federal, a curva de falecimentos será reduzida.
Reunião com comunidade médico-científica e lockdown
Nesta tarde, Crivella terá nova reunião com a comunidade médico-científica que participa do gabinete de crise da Prefeitura. Eles vão avaliar a atual situação da Covid-19 no município e os próximos passos no combate à doença, entre eles os fechamentos de espaços na cidade.
– A tendência é ampliar as medidas de restrição. Mas nossa comunidade médico-científica vem avaliando que o melhor efeito é como estamos fazendo, fechando os locais de maior aglomeração.