Coordenadoria de Igualdade Racial da Prefeitura lança oficina de tranças para mulheres negras

Publicado em 21/08/2021 - 15:16 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Coordenadoria de Igualdade Racial da Prefeitura lança oficina de tranças para mulheres negras
Projeto “Trançando Vidas” visa a fomentar empreendedorismo feminino - Marcelo Viana/Divulgação

A Coordenadoria Executiva de Promoção da Igualdade Racial (CEPIR) da Prefeitura do Rio, vinculada à Secretaria Municipal de Governo e Integridade Pública, lançou, neste sábado (20), a Oficina Trançando Vidas, projeto de fomento ao empreendedorismo negro feminino. Além de ensinar a fazer diversos tipos de tranças, como box braids e nagô, a ação também abordará noções de empreendedorismo, marketing digital e e-commerce, e terá momentos dedicados ao estudo do Sagrado Feminino.

O lançamento foi realizado na quadra da escola de samba Império Serrano, em Madureira, onde as atividades acontecerão duas vezes por semana. No evento, foi ministrada a primeira oficina de Sagrado Feminino, técnica terapêutica que promove reflexões sobre aspectos físicos e mentais da figura feminina.

– Estamos muito felizes de começar o Trançando Vidas num lugar em que a energia da luta das mulheres negras é tão forte e evidente. A história do Império Serrano é formada por inúmeras figuras femininas, que trazem em suas vozes todo o legado de vovó Maria Joanna Rezadeira, matriarca da escola e do Jongo da Serrinha. A oficina é um espaço de acolher mulheres negras, e, também, de ampliar o acesso delas à renda – afirmou o coordenador executivo de Promoção da Igualdade Racial, Jorge Freire.

Com duração aproximada de um mês e meio, o projeto é uma parceria da CEPIR com o Paraíso das Tranças, comandado pela empresária Luana Alcantara. Na primeira turma, foram disponibilizadas oito vagas. As inscrições aconteceram pela internet, e a seleção se deu por meio de sorteio. O próximo processo seletivo está previsto para outubro.

Para Luana, que ministrará as oficinas de tranças, o objetivo da ação é resgatar a autoestima das participantes e oferecer possibilidades de conciliar o trabalho com a vida pessoal, por meio da autonomia e do empreendedorismo.

– Não é simplesmente um curso. É um momento de compartilhar histórias e mostrar que, mesmo tendo uma vida pessoal muito corrida, com filhos e família, é possível alcançar lugares profissionais que, antes, não nos imaginávamos capazes de conquistar. Queremos que essas mulheres sejam multiplicadoras deste projeto. Em todo canto, existem outras precisando de ajuda – ressaltou.

Uma das participantes é a dona de casa Rayane Costa. Após dar à luz, no meio da pandemia, ela precisou deixar o emprego para cuidar do bebê. Para ela, o projeto é uma oportunidade de começar uma nova carreira e de se aproximar da família.

– Além de crescer profissionalmente, tive interesse no curso para poder ficar mais perto da minha filha. Minha mãe fazia muita trança em mim. É uma coisa que vem de gerações, que eu quero passar para a minha filha – contou.

– Nós, da agremiação, estamos muito felizes em participar de um projeto tão importante. Esperamos que essas pessoas possam, de fato, mudar suas vidas por meio do empreendedorismo – completou o diretor do departamento comunitário do Império Serrano, Josimar Viana.

  • 21 de agosto de 2021