Casa da Mulher Carioca ensina profissão e forma 372 alunas empoderadas para o mercado de trabalho

Publicado em 16/12/2019 - 14:09 | Atualizado em 16/12/2019 - 14:25
As novas formandas foram recebidas no Palácio da Cidade na manhã desta segunda-feira. Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou nesta segunda-feira, 16 de dezembro, certificados de conclusão a 372 formandas de cursos de capacitação profissional oferecidos pela Casa da Mulher Carioca. A iniciativa prepara para o mercado de trabalho e transforma vidas. Como a da manicure Rafaela Braga Almeida Venâncio, de 27 anos, que estava desempregada, ganhou nova profissão e agora se tornou empreendedora.

– Essa profissionalização, além dos ganhos pessoais, é um trabalho em que vocês passam a ser úteis, importantes. Nas suas mãos, pessoas vão ficar mais bonitas e terão uma condição melhor. Porque vocês vão fazer o melhor. E fazer o melhor aproxima vocês de Deus. Parabéns a todas – afirmou Crivella, que entregou os certificados durante solenidade no Palácio da Cidade, em Botafogo, Zona Sul.

 

A manicure Rafaela Venâncio se aperfeiçoou em cursos e agora atende em domicílios. Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio

 

Rafaela, moradora de Realengo, na Zona Oeste, fez os cursos básico e avançado de manicure na unidade da Casa da Mulher Carioca do bairro onde vive. Ela aprendeu não só um novo ofício, como também técnicas que lhe possibilitam hoje oferecer um serviço melhor e mais amplo às clientes que já conquistou.

– Eu trabalho com películas, que são adesivos de unha. Essa técnica aprendi no curso. Montei um espaço na minha casa e hoje atendo também em domicílio. O curso é tão bom e tão completo que a gente já pode começar a trabalhar enquanto está tendo aulas, porque a professora nos dá apoio e supervisão o tempo todo, até por redes sociais. Aprendi como tratar a clientela, como manter os cuidados de saúde e como garantir a higiene dos produtos e dos materiais que utilizo – disse Rafaela.

Os cursos livres, voltados para capacitação profissional e geração de renda, são ministrados por professores especializados. As alunas têm aulas nas seguintes áreas: administrativa, de informática, de trabalhos manuais e de beleza, entre outras. Com isso, o programa da Subsecretaria de Política para a Mulher, subordinada à Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, estimula o empreendedorismo feminino. E também reforça a autoestima da mulher, oferecendo a cada uma delas condições de alcançar autonomia financeira.

– Em 2019, a Casa da Mulher Carioca já realizou mais de 45 mil atendimentos a mulheres na cidade. E já ofereceu certificados a mais de 1.500, nos três ciclos de cursos ofertados ao longo do ano. É um espaço de empoderamento feminino e de ressiginificação social – explicou o secretário municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, João Mendes de Jesus.

A Casa da Mulher Carioca é um espaço de promoção de políticas públicas para as mulheres e mulheres trans. Um dos principais objetivos é desenvolver ambiente de empoderamento, capacitação, interação e exercício da cidadania. Tudo isso com foco no respeito às diferenças étnico-raciais, religiosas, de classe, origem e orientação sexual.

Atualmente, existem duas unidades da Casa da Mulher Carioca: em Realengo, a Dinah Coutinho; e em Madureira, a Tia Doca. Nelas são oferecidos atendimentos individuais e coletivos, inclusive para mulheres que tenham passado por algum tipo de violência. Nesses casos, elas recebem apoio de assistentes sociais, psicólogas, pedagogas e advogadas.