Carnaval 2020: Vigilância Sanitária inicia ações prévias para a folia de rua carioca

Publicado em 08/01/2020 - 15:00 | Atualizado
Responsáveis por blocos de Carnaval terão de 1º a 31 de julho para se inscreverem para desfiles em 2020. Foto: Fernando Maia/Riotur

A ampliação da capacitação de profissionais de alimentos e embelezamento e a antecipação das inspeções prévias em restaurantes, hotéis, farmácias e outros estabelecimentos estão entre as novidades do planejamento operacional do Carnaval 2020 que a Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses da Prefeitura do Rio inicia nesta quarta-feira, dia 8. Até 1º de março, fiscais das coordenações de Alimentos, de Engenharia e de Saúde estarão vistoriando restaurantes, bares, farmácias, hotéis e outros pontos comerciais, a começar pelo percurso dos megablocos autorizados.

Além das vistorias, técnicos do Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) coletam para análise amostras de alimentos e bebidas (como água de consumo e caipirinha) e Coordenação de Eventos do órgão faz o licenciamento sanitário para os eventos dos 50 dias do carnaval de rua 2020, com abertura no próximo domingo, 12, em Copacabana. Distribuídos em equipes, os fiscais realizarão vistorias prévias em postos médicos que serão montados para o atendimento durante o desfile dos blocos, conferindo a infraestrutura, o abastecimento de água e as instalações elétricas, entre outros.

A Vigilância vai ainda licenciar as chamadas atividades transitórias, como os organizadores de eventos carnavalescos autorizados, os prestadores de serviços de ambulâncias para a remoção de pacientes, empresas de alimentos e ambulantes legalizados. Como tem ocorrido em todos os grandes eventos da cidade, a Superintendência de Educação do órgão reforçará as atividades de orientação e oferecerá cursos de higiene para profissionais manipuladores de alimentos e bebidas e de embelezamento e saúde em geral.

 

A Vigilância não para, e o nosso foco agora é o Carnaval, evento que atrai multidões de foliões para as ruas e estabelecimentos. Faremos prévias nas áreas oficiais de Carnaval e no percurso dos blocos, e atuaremos nos dias de folia para possibilitar que o público desfrute de produtos e serviços de qualidade. Vamos investir ainda mais na capacitação, estimando um aumento de, pelo menos, 10% nas qualificações, com mais cinco turmas no cronograma. A licença sanitária é outro objetivo nosso, pois ela é uma das formas de prevenção. Fazendo a nossa parte colaboramos para que o Rio tenha uma festa fantástica, sem riscos à saúde do carioca e dos turistas que nos visitam – diz Marissol Figueiredo, coordenadora de Eventos da Superintendência de Educação da Vigilância.

 

Alguns dos itens que a Vigilância confere

 

Alimentos

Comércio e produção de alimentos e bebidas
Sedes das empresas de alimentação
Ambulantes de alimentação

Engenharia

Água de abastecimento
Manejo de resíduos
Ambientes climatizados
Condições estruturais

Saúde

Postos médicos
Ambulâncias
Serviços de interesse à saúde, como cabeleireiros, maquiadores e tatuadores

Outros serviços

Lasp – Além de alimentos e bebidas, técnicos do Lasp coletarão amostras de água de abastecimento para análise laboratorial.

Educação – A Superintendência de Educação fará também palestras para fornecedores e empresas e treinamentos para profissionais das empresas de saúde e de alimentação e ambulantes cadastrados, promovendo uma série de orientações à população.

 

Para os foliões curtirem a temporada mais animada da cidade, a Vigilância recomenda

 

• Consumir alimentos e bebidas em comércios regularizados e ambulantes autorizados;

• Evitar vendedores clandestinos;

• Ficar de olho nas condições de higiene do estabelecimento e dos manipuladores de alimentos;

• Conferir se a licença sanitária está fixada em local visível;

• Ao consumir drinques tipo caipirinha, caipivodka, batidas ou coquetéis, observar se as frutas são adicionadas na hora do preparo;

• Manter-se hidratado, bebendo água filtrada ou industrializada devidamente embalada e rotulada;

• Ter atenção ao consumo de alimentos perecíveis, como frios, laticínios, maionese, frango, camarão, que estragam com muita facilidade.

• Já as frutas consumidas com casca devem ser previamente higienizadas em solução clorada.

 

Assim como a Vigilância Sanitária está sempre atenta aos riscos à saúde pública, a população pode – e deve – fazer a sua parte, denunciando produtos impróprios no 1746, Central de Atendimento da Prefeitura. As irregularidades referentes a alimentos são encaminhadas à Vigilância Sanitária, que providencia a inspeção no local para avaliação das condições higiênico-sanitárias e, caso necessário, a aplicação das penalidades previstas em leis.