Ana Sátila, que treina no Parque Radical de Deodoro, faz história nos Jogos de Tóquio

Publicado em 29/07/2021 - 07:16 | Atualizado em 29/07/2021 - 12:38
Ana Sátila é a primeira brasileira a se classificar para a final da canoagem - Divulgação/COB

Ana Sátila fez história ao se tornar a primeira mulher brasileira classificada para uma final olímpica na canoagem. Na prova decisiva do C1 Slalom, disputada na madrugada desta quinta-feira (29/07), a atleta foi punida por não ter passado por uma das 25 balizas obrigatórias do circuito e terminou na décima colocação. A canoísta fez boa parte de sua preparação no Parque Radical de Deodoro, que considera a melhor pista do mundo.

 

– É a minha favorita. Nos deixa preparados para o que der e vier – disse Ana Sátila antes do embarque para o Japão. No currículo, ela tem os títulos de campeã mundial, sul-americana e brasileira de canoagem.

 

 

Pepê fez sua preparação para os Jogos de Tóquio no Parque Radical de Deodoro – Divulgação/COB

 

Outros dois atletas que disputam a Olimpíada de Tóquio também têm suas carreiras conectadas a equipamentos esportivos da Prefeitura do Rio.  O canoísta Pedro Gonçalves, que treinou com Ana Sátila no Parque Radical de Deodoro, está classificado para as semifinais do Slalom, na madrugada desta sexta-feira (30/07). Antes da viagem, ele fez em suas redes sociais uma homenagem aos funcionários de Deodoro pela dedicação e pelo carinho.

 

– É uma energia que vou levar para Tóquio e para a minha vida – escreveu Pepê, como o canoísta é mais conhecido.

 

Chayenne é esperança no atletismo

 

Mulher, negra, situação financeira difícil e moradora da Zona Oeste. Com apenas 21 anos e a mais rápida do país (55s15) nos 400m com barreiras, Chayenne Silva vai estrear nesta sexta-feira (30/07) nos Jogos, em fase classificatória. Ela deu os primeiros passos no atletismo na Vila Olímpica Oscar Schmidt, em Santa Cruz, onde também se preparou para o megaevento.

 

– É a minha casa. Faço questão de treinar aqui para as pessoas da área verem que podem ter um caminho vitorioso também.

 

Chayenne treinou na pista da Vila Olímpica Oscar Schmidt – Alexandre Macieira/Prefeitura do Rio

 

Atualmente, são cerca de 25 mil alunos inscritos nas 26 vilas olímpicas espalhadas pelo Rio, que oferecem aulas gratuitas de  futebol, basquete, natação, futsal e ginástica, entre outras modalidades.

  • 29 de julho de 2021