Cidade terá nova área para treinamento de ciclistas de competição a partir de dezembro

Publicado em 14/11/2019 - 10:29 | Atualizado em 14/11/2019 - 11:05
Ciclistas fazem o estudo do circuito da futura APCC do Porto. Foto: divulgaçãoCiclistas fazem o estudo do circuito da futura APCC do Porto. Foto: divulgação

A cidade vai contar com mais uma  Área de Proteção ao Ciclismo de Competição (APCC), a partir do dia 1º de dezembro, no trecho que compreende a Avenida Alfred Agache, o Túnel Prefeito Marcello Allencar e a Avenida Rodrigues Alves. Com uma distância de 11 km, o circuito vai funcionar aos domingos e feriados, das 6h às 8h, e receberá o nome de Circuito Marcos Hama,  ciclista que ficou com sequelas graves após sofrer um acidente enquanto treinava na estrada.

A criação da nova APCC é um esforço conjunto de vários órgãos da Prefeitura do Rio, especialmente CDURP, CET-Rio, Comlurb, Guarda Municipal e Porto Novo, atendendo à solicitação da Comissão de Segurança no Ciclismo do Rio de Janeiro, com o objetivo de incentivar o esporte e garantir que o treinamento dos ciclistas ocorra em total segurança.

Para viiabilizar o funcionamento da APCC, as vias envolvidas serão bloqueadas à circulação de veículos a partir das 5h30, permanecendo assim até as 8h30, para que as estruturas de apoio do circuito sejam montadas e desmontadas. Agentes da Guarda Municipal e da CET-Rio farão os bloqueios necessários para garantir a segurança da área de treinamento.

Principais interdições

Avenida General Justo, pista sentido Túnel Prefeito Marcello, a partir do Trevo Estudante Edson Luis de Lima Souto;

Avenida Alfred Agache em ambos os sentidos;

Túnel Prefeito Marcello Alencar em ambos os sentidos;

Avenida Rodrigues Alves, em ambos os sentidos, entre o Túnel Prefeito Marcello Allencar e o acesso à Via B4, nas proximidades da Rodoviária Novo Rio.

Rotas de Desvio 

Para os veículos que seguem em direção à Zona Sul, o desvio será feito utilizando a Via B4 e a Via Binário do Porto. Para os veículos seguindo em direção à Avenida Brasil, os motoristas poderão utilizar a Avenida Presidente Antonio Carlos, Rua Primeiro de Março, Túnel Rio 450 e Avenida Binário do Porto.

Conheça a história de Marcos Hama

Marcos Hama é um ciclista e triatleta que se acidentou em 2011, quando treinava para o Iron Man, uma das mais famosas e exigentes competições do circuito mundial do triatlo. O acidente foi na rodovia Rio-Magé. Ele se chocou na traseira de um ônibus que parou de repente na pista para pegar passageiros. Hama não teve tempo suficiente para frear a bicicleta e acabou batendo de cabeça no ônibus, o que causou lesões graves na coluna vertebral e o deixou paraplégico. Em seguida, Hama apresentou sintomas da Síndrome de Guillain Barré, distúrbio em que o sistema imunológico do próprio corpo ataca os nervos que conectam o cérebro a outras partes do corpo. Como consequência, seu quadro se agravou, e ele ficou tetraplégico. Hoje, o triatleta só se comunica por meio da tecnologia, com auxílio de computador, e vive em Salvador, na Bahia, com os pais e a irmã.

Querido no meio ciclístico, Hama é o símbolo de uma luta por segurança para os ciclistas em geral e, em particular, para os que treinam desportivamente. E essa é a finalidade principal da criação de uma APCC: garantir contato zero das bicicletas com automóveis e permitir condições de segurança para os treinamentos, em áreas de circuito fechado, onde também os pedestres não fiquem expostos a riscos.

 

  • 14 de novembro de 2019