Parceria entre Prefeitura e ONG vai ampliar estrutura de vacinação na Portela

Publicado em 27/04/2021 - 14:17 | Atualizado em 30/04/2021 - 16:00
Calero acertou a parceria com Ann Lee, da ONG Core, que vai ajudar no combate à Covid - Ricardo Cassiano/Prefeitura do Rio

O secretário municipal de Governo e Integridade Pública do Rio, Marcelo Calero, e a CEO da ONG Core (Esforço de Ajuda Organizado pela Comunidade, na sigla em inglês), Ann Lee, visitaram na manhã desta terça-feira (27/04) a quadra da escola de samba Portela, em Oswaldo Cruz. O local será um dos macropolos de vacinação contra Covid-19 que receberão investimentos da Core para ampliar a sua estrutura.

Durante a visita, Calero e Ann Lee debateram os próximos passos para a implementação da parceria. A previsão é de que a ONG comece a atuar no Rio já no próximo fim de semana, assumindo também a logística da vacinação no Parque Olímpico, na Barra.

A Prefeitura e a ONG assinaram, em 20 de abril, um memorando de entendimento sobre a parceria para fortalecimento dos esforços de vacinação na cidade. Essa é a primeira iniciativa da Core no combate à Covid-19 fora dos EUA, onde a ONG, fundada pelo ator Sean Penn, tem ajudado na vacinação em massa.

Inicialmente, a entidade doará R$ 5 milhões no combate ao novo coronavírus no Rio, em apoio ao SUS, com reforço e montagem de postos de vacinação e testagem e contratação de profissionais. Outros R$ 5 milhões estão em negociação para a compra de medicamentos para intubação, totalizando um investimento de R$ 10 milhões. Todos os equipamentos adquiridos por meio da iniciativa serão doados para a rede municipal de saúde após o término da parceria.

O secretário Marcelo Calero ressaltou a importância de uma parceria dessa magnitude num momento tão crucial, que classificou como um “esforço de guerra”:

– Fico muito feliz de ver a Core se engajando conosco, já que é especialista em ajudas emergenciais, com papel humanitário brilhante no Haiti e na vacinação dos EUA contra a Covid-19. É fundamental destacar que não há transferência de recursos para a Prefeitura: todos serão usados diretamente pela Core nas suas contratações, seguindo o escopo de trabalho definido conjuntamente conosco. É um tipo de parceria que consegue agilizar os investimentos. Isso é importantíssimo para uma situação de emergência, que demanda respostas rápidas – comentou Calero.

A CEO Ann Lee afirmou que a Core quer aprender o máximo que puder com o Rio, para ajudar em outros lugares no Brasil e no mundo.

– Queremos mostrar o que acontece aqui acontece em qualquer lugar. E, nesse momento de pandemia, precisamos apoiar uns aos outros. Aqui temos o exemplo de poder público, ONG e comunidade agindo conjuntamente. Esse é o único caminho para garantirmos a vacinação para aqueles que precisam mais – disse Ann Lee, que completou em tom descontraído: – Queremos concluir a vacinação para que possamos aproveitar o carnaval juntos.

Acompanharam a agenda o subprefeito da Zona Norte, Diego Vaz; o vice-presidente da Portela, Fábio Pavão; e a diretora do Departamento de Cidadania da escola de samba, Hellen Mary Costa. Calero destacou, ainda, o significado dessa primeira visita para o trabalho conjunto com a Core ser na Portela:

– Ver a Portela engajada nesse esforço, como um lugar de legado, de parceria, de presença na vida das pessoas, é fundamental. A escola deu exemplo na História da nossa cidade e, agora, dá exemplo no enfrentamento dessa pandemia.

A previsão é de serem criados e fortalecidos cinco macropolos de vacinação com os recursos da ONG, além da contratação de equipes para trabalharem nesses postos (incluindo profissionais de saúde). Os locais inicialmente escolhidos pela Secretaria Municipal de Saúde foram a UPA de Manguinhos, as quadras das escolas de samba Mocidade Independente de Padre Miguel e Portela (onde já funciona um posto, mas será ampliado e mantido com os recursos da Core), a Vila Olímpica do Complexo do Alemão e o Parque Olímpico (que atualmente está aberto, mas será mantido a partir de maio pela ONG).

Em outra etapa, haverá também centros de testagem, para ampliar a detecção de pacientes contaminados e auxiliar no combate à doença.

Como foi estabelecida a parceria

A convite da Coordenadoria-Geral de Relações Internacionais e Cooperação, a Core realizou visitas técnicas na cidade entre 13 e 20 de abril, para avaliar o alcance da parceria no combate à Covid-19 no município. A organização demonstrou interesse em ampliar a campanha de vacinação e apoiar a realização de testes em massa na cidade.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, e a equipe do Centro de Operações de Emergências – COE Covid-19, apresentaram os dados da pandemia na cidade, as medidas de proteção à vida estabelecidas pela Prefeitura do Rio e o plano de vacinação municipal.

Os representantes da Core acompanharam a atuação da Prefeitura na armazenagem e na distribuição dos imunizantes para os pontos de vacinação da cidade, bem como na coleta e na atualização de dados sobre a pandemia no Painel Rio Covid-19, mantido pela municipalidade.

A organização também se reuniu com o Secretário Especial da Juventude, Salvino Oliveira, que apresentou a campanha de doação de alimentos “Rio contra a Fome”. A iniciativa incentiva aqueles que irão receber a vacina a doarem um quilo de alimento não perecível, distribuído a famílias em situação de vulnerabilidade alimentar no município. Até 20 de abril, mais de 20 toneladas de alimentos tinham sido arrecadadas.

A expectativa é de que as operações de apoio tenham início já no mês de maio, acelerando o combate à Covid-19 no município, coincidindo com o aumento do número de pessoas dos grupos prioritários para a imunização.

 

Representantes da ONG Core visitaram a quadra da Portela – Ricardo Cassiano/Prefeitura do Rio

 

Sobre a Core

A Core é uma organização sem fins lucrativos, fundada pelo ator Sean Penn em resposta ao terremoto de 12 de janeiro de 2010, no Haiti. As iniciativas da ONG têm como objetivo a construção de comunidades mais saudáveis, resilientes e seguras para mitigar o impacto causado por desastres. A organização atua principalmente em comunidades em situação de vulnerabilidade, tendo em vista que essas são mais propensas a sofrer os impactos de desastres naturais.

No contexto da pandemia da Covid-19, a organização iniciou sua atuação apoiando a cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos, na realização de testes para detectar a doença. Hoje a organização detém uma rede robusta de programas adaptados aos contextos locais como resposta à Covid-19 nos EUA.

  • 27 de abril de 2021