SMASDH lança prêmio Influenciadores Sociais Contra o Racismo

Publicado em 13/12/2018 - 18:50 | Atualizado em 08/03/2019 - 15:24

Ativistas contra o racismo são homenageados e dão exemplo à jovens atendidos pela Secretaria.

 

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) lança o Prêmio Influenciadores Sociais Contra o Racismo, que tem por propósito homenagear grandes nomes da luta pelas causas negras. A premiação foi idealizada pelo secretário João Mendes de Jesus e seu filho Felipe Mendes.

 

Modelos, youtubers, djs, advogados, psicólogos, jornalistas entre outras profissões marcaram os escolhidos ao prêmio Influenciadores Sociais Contra o Racismo. Além da homenagem, o evento teve cunho social e esclarecedor, pois o público que lotou o auditório da Prefeitura do Rio de Janeiro são adolescentes e jovens adultos atendidos pela SMASDH.

 

O prêmio concedido pela Secretaria escolheu como base os meses finais do ano por ser o período do Dia da Consciência Negra, além de 2018 ser um momento marcado pela forte luta contra o homicídio negro. O ano de 2018 registrou o aumento de 23% no índice de mortalidade negra. Não é possível deixar de ressaltar Marielle Franco, vereadora, e, principalmente, militante do movimento negro, que foi assassinada no início do ano.

 

Atualmente, 780 cidades brasileiras consideram o Dia 20 de novembro uma data de conscientização, pois as lutas do movimento negro veem avançando com os anos e isso tem gerado uma maior repercussão das reivindicações do povo em diversas mídias físicas e digitais.

 

“Quando se olha a capacidade não se olha a cor. Todos nos somos pessoas capazes” — afirmou Fátima Malaquias, presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro.

 

A causa negra é marcada por grandes personagens da história que trabalharam para reestruturar a visão da sociedade de que o mundo não é moldado por cores, mas sim por capacidade e o empenho em aprender, construir e ensinar. Nomes como Nelson Mandela, Martin Luther King Júnior e Machado de Assis são alguns desses lutadores, sem deixar de falar de Zumbi, Dandara dos Palmares e Rosa Parks.

 

A tarde de fortes discursos em prol da causa negra ressaltou a importância da representatividade em todas as áreas como música, escrita e fotografia, pois são registros importantes e por meio de cada um deles a essência negra é mantida e respeitada.

 

“É importante que os jovens vejam essas representações negras aqui hoje homenageadas e as que compõem a mesa, pois eles precisam enxergar que amanhã eles podem estar aqui. Essas pessoas aqui representadas inspiram e são exemplos para as gerações futuras” — diz Gustavo Proença, subsecretário de Direitos Humanos.

 

A mesa da cerimônia foi composta pelo secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, João Mendes de Jesus, pelo subsecretário de Direitos Humanos, Gustavo Proença, e pela presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro, Fátima Germano de Oliveira Malaquias.

 

Desde sua época, na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, João Mendes de Jesus sempre foi engajado na luta negra. O secretário sempre realizou cerimônias de celebração e homenagem às mulheres e homens que lutam diariamente para sobreviver em meio ao racismo histórico do Brasil e do mundo.

 

“Enquanto a sociedade não entender que negros podem ser médicos, músicos, doutores entre outras posições de destaque, enquanto eles não entenderem que jovens precisam ser representados com todas as suas diversidades e forças, não poderemos avançar e muitos menos nos denominarmos cultos e muito menos intelectuais. Saber viver com a diferença do próximo, respeitando e incentivando suas forças é a maneira para vencer e avançar” — assegurou João Mendes de Jesus.

 

Os premiados foram: Bruno Oliveira, Claudia Alves, Deborah Medeiros, DJ Tamy.

Coordenação de Comunicação da SMASDH