Projeto Resenha Contra Covid-19 vai às comunidades para combater fake news sobre a pandemia

Publicado em 14/01/2021 - 19:36 | Atualizado em 15/01/2021 - 15:05
Cariocas participam de reunião sobre prevenção à Covid-19 - Fernando Maia / Prefeitura do Rio

A conversa mais importante é a da prevenção à covid-19. Que vocês sejam multiplicadores das informações sobre como enfrentar o coronavírus em suas comunidades. O que está em jogo é a vida. A afirmação foi feita pela secretária municipal de Assistência Social, Laura Carneiro, ao lançar o Resenha Contra Covid-19 no Rio, nesta quinta-feira (14/01), em encontros com líderes comunitários na Vila Olímpica Félix Mieli Venerando, de Honório Gurgel. Combater a disseminação de notícias inverídicas – as fake news – sobre a propagação do vírus é um dos alvos do projeto.

A líder da comunidade Palmeirinha, em Guadalupe, Dulce Chagas da Silva, de 77 anos, foi a primeira a receber o material de treinamento das mãos da secretária.

-Acredito que o projeto vai fazer a diferença, pois muitas pessoas nos procuram para pedir informações – contou Dulce.

A secretária Laura Carneiro também teve encontros na Associação de Moradores do Mediterrâneo, na Barra da Tijuca, e na Lona Cultural Gilberto Gil, em Realengo. O Resenha Contra Covid-19 está treinando líderes comunitários para atuarem como porta-vozes da prevenção à doença junto às populações de favelas e periferias.

A ideia desenvolvida pela Subsecretaria de Proteção Social Básica é formar uma rede de solidariedade na prevenção ao coronavírus, por meio da mobilização de lideranças e diferentes coletivos de comunidades e instituições públicas e privadas. Assim, o Resenha Contra Covid-19 também vai identificar situações de extrema precariedade e aglomerados populacionais, compartilhar informações reais sobre a doença e articular a atuação de redes de solidariedade nas comunidades de maior vulnerabilidade.

Além de fomentar o diálogo com as comunidades sobre sinais e sintomas de alerta, medidas de prevenção e o incentivo à criação de redes locais de solidariedade nos territórios. Já são 360 os líderes comunitários cadastrados em 15 locais de treinamento por toda a cidade, distribuídos por escolas, centros de saúde e vilas olímpicas. O material de treinamento vem com identidade visual própria, acompanhado de adesivos, sacolas e máscaras que auxiliam na identificação dos porta-vozes em suas comunidades.

  • 14 de janeiro de 2021