Operação Intensiva de Abordagem Social dura 21 horas consecutivas

Publicado em 28/06/2019 - 18:05 | Atualizado em 28/06/2019 - 18:06

A Operação Intensiva de Abordagem Social, coordenada pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), realizou ações em Copacabana por 21 horas consecutivas. Técnicos da Secretaria, com o apoio de vários órgãos municipais, iniciaram a operação na quinta feira (27), às 7 horas, e encerraram o trabalho às 4h da madrugada desta sexta-feira (28).

A Operação vai se estender pelo fim de semana, sendo interrompida no domingo e retomada na segunda-feira (1/7), às 7 horas. “Nosso objetivo com essas ações é de prestar a assistência à população em situação de rua, que vem aumentando bastante no bairro, além de termos um retrato mais fiel desse contingente” – afirma o secretário da SMASDH, João Mendes de Jesus.

No primeiro dia de operação, foram abordadas ao todo 80 pessoas em situação de rua, sendo 38 durante o dia e 42 na parte noturna. Nenhum dos abordados quis o acolhimento social nos abrigos da Prefeitura. No entanto, 20 pessoas foram encaminhadas para a Rede Sócioassistencial, sendo oito pessoas durante o dia e 12 à noite. Houve três encaminhamentos para a área de saúde por motivos diversos.

A operação contou com apoio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) e com as participações da Superintendência da Zona Sul, Comlurb, Guarda Municipal e policiais militares do Programa Rio+ Seguro. Na próxima terça-feira (2), será feita uma avaliação da Operação para verificar os resultados das ações.

Na próxima semana também serão feitas diversas reuniões com órgãos públicos, como Ministério Público, Defensoria Pública, Polícia Militar e Civil, entre outros, para discutir novas ações de abordagem social. O superintendente da Zona Sul, Marcelo Maywald, afirmou que a operação foi bastante positiva por intensificar esse tipo de operação na Zona Sul, em especial em Copacabana.

Segundo Maywald, ao intensificar a abordagem social, certamente haverá um resultado mais eficaz tanto do ponto de vista da segurança quanto da questão social. “A atuação conjunta foi muito positiva principalmente no horário noturno por ser um momento critico em que encontramos muitos usuários de drogas e alcoolismo” — disse.

Por conta do uso de drogas, durante a operação foi feita a checagem da situação legal de oito pessoas pelos policiais que deram apoio à ação. No entanto, não havia nenhuma pendência dessas pessoas com a Justiça.

Abordagem social — Para o coordenador do programa Rio+ Seguro, coronel Baracho, a Operação Intensiva é muito importante não apenas pelo seu caráter de ordenamento, mas também pela abordagem social e por questões de segurança. Segundo ele, junto com os moradores de rua encontram-se também usuários de drogas e num bairro em que boa parte da população é composta de idosos, a questão da segurança é fundamental.

“Copacabana tem um grande contingente com mais de 60 anos e que se sente inseguro de andar nas ruas por conta dessa situação. Além disso, é claro, precisamos buscar dar melhores condições de vida a essa população em situação de rua, onde encontramos muita gente que não está satisfeita em ficar nessa condição” — conclui o coronel.

DADOS DOS ATENDIMENTOS

COPACABANA/LEME/

ORLA DO LEME AO POSTO 6

 

27/06/2019

DIA

27/06/2019

NOITE

Totais
Nº DE ATENDIMENTOS DE ABORDAGEM 38 42 80
Nº DE ACOLHIMENTOS 0 0 0
Nº DE ENCAMINHAMENTOS PARA REDE SOCIOASSISTENCIAL 8 12 20
Nº ENCAMINHAMENTO PARA SAÚDE 3 0 03

 

  • 28 de junho de 2019