Maracanã terá Ato pela Paz nos jogos em homenagem à Declaração Universal dos Direitos Humanos

Publicado em 29/11/2018 - 14:19 | Atualizado em 08/03/2019 - 16:26

Evento organizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) terá a participação de jogadores refugiados, que entrarão em campo com uma faixa mostrando o artigo 1º da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que este ano completa 70 anos.

No próximo final de semana, jogadores amadores que participaram da Copa dos Refugiados 2018, entram no Maracanã antes dos jogos de Flamengo e Atlético Paranaense (sábado) e Fluminense e América MG (domingo), portando uma faixa com o primeiro artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos: “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos”. O ato, organizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), será para marcar a passagem dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Os jogadores refugiados, residentes no Brasil, são de várias nacionalidades e integram as seleções que participaram da Copa dos Refugiados 2018, realizada em agosto pela SMASDH e que contou com apoio da Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Os jogadores, que disputarão as partidas no Maracanã, deverão apresentar a faixa ao público presente junto com os refugiados. O “Ato pela Paz” faz parte das atividades do II Festival de Direitos Humanos, evento oficial da Prefeitura do Rio de Janeiro.

“A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos se sente muito honrada por estar envolvida em evento tão importante em “Ato pela Paz”, que relembra e homenageia os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, um marco civilizatória da humanidade. Os 70 anos com a participação de grupos de refugiados e imigrantes simbolizam que os homens e as mulheres nascem iguais em direitos e dignidade, bem como o poder público tem a obrigação e o dever de preservar esses direitos” — afirma o secretário da SMASDH, João Mendes de Jesus.

 

Coordenação de Comunicação da SMASDH