DEAM do Centro inaugura espaço às crianças e Subsecretaria da Mulher contribui com doações

Publicado em 03/04/2019 - 20:55 | Atualizado em 03/04/2019 - 21:03

A violência contra a mulher é um problema recorrente na sociedade brasileira. Dados do Instituto Patrícia Galvão mostram que 536 mulheres foram vítimas de agressão física a cada hora em 2018, 4,6 milhões de mulheres foram tocadas ou agredidas fisicamente por motivos sexuais.

Situações de agressão doméstica evidenciam problemas alarmantes, pois crianças que presenciam atos de violência sofrem alterações psíquicas importantes, porque são expostas à violência pode ser tão prejudicial quanto sofrê-la diretamente.

O Rio de Janeiro possui delegacias especializadas de atendimento à mulher. São as chamadas DEAM. A delegacia do Centro está inovando com a criação de um espaço voltado para o entretenimento das crianças, que chegam com as mães em busca de ajuda.

A delegada Ana Lúcia Barros foi quem teve a iniciativa. Ela conta que na maioria dos casos a mulher vai procurar apoio na delegacia acompanhada dos filhos, sendo que a criança costuma ficar ouvindo os relatos e revivendo os momentos de terror que presenciou em casa, o que vai causar reflexo no futuro.

Segundo Ana Lúcia, em regra o agressor costuma ser o pai ou o padrasto, o que mexe ainda mais com a estrutura de um ser humano em formação. Além disso, os pequenos não tem paciência para ficar aguardando todo aquele procedimento e muitas vezes inquietos atrapalham o trabalho dos agentes.

“Quando falamos de violência doméstica conseguimos perceber que geralmente o agressor se encontra em um círculo que ele reproduz sua vivência. Ele agride, quando pequeno, porque via o pai e o avô agredirem as esposas. Então, ele reproduz isso com muita naturalidade” – afirma a delegada.

A policial disse ainda que a mulher muitas vezes aceita a violência, pois ela não consegue perceber que aquilo é abusivo, já que viu isso na sua família desde criança, então para ela é algo natural.

“Quanto mais nós preservamos estas crianças estamos pensando em um futuro melhor para todos” – diz Ana Lúcia.

A subsecretária municipal de Políticas para a Mulher, Joyce Braga, esteve na DEAM acompanhada da escritora e coach de relacionamento, Michele Pin, para entregar doações ao espaço infantil. As duas levaram brinquedos, material para desenho e adesivos para as paredes. Tudo ficou ainda mais divertido e bonito.

Joyce ficou bastante feliz com a iniciativa da DEAM. “O espaço é preparado especialmente para a criança que acompanha a mãe, a proposta é inovadora e devemos pensar em transformar isso em uma política pública para o município do Rio, para que todas as delegacias tenham este espaço comum e se preserve as crianças. Aqui ela vai entrar no mundinho dela, vai desenhar, brincar e sair daquele contexto pesado de violência” – explica.

Michele Pin irá lançar este mês o livro Help in Love que tem como foco elevar a autoestima e o amor próprio das mulheres. Ela conta que criou um canal na internet sem fins lucrativos, apenas com a intenção de ajudar ao público feminino e se surpreendeu com o grande número de pedidos de ajuda por e-mail, com mais de 60 mil mulheres.

Michele, que é mãe de um bebê-recém nascido, ficou animada em contribuir com um cantinho cheio de amor para as crianças.