Concurso Palavra Viva

Publicado em 24/07/2019 - 12:40 | Atualizado em 24/07/2019 - 12:57

A SMASDH lançou, na Biblioteca Parque Estadual, a 5a Edição do Concurso Palavra Viva, que tem como objetivo incentivar e promover a prática da leitura e cultura para crianças e adolescentes, que estão em acolhimento institucional (abrigos públicos e particulares conveniados ao município) ou ambientes familiares, através do acolhimento temporário (família acolhedora), adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto (liberdade assistida e prestação de serviços à comunidade), crianças e adolescentes pelos CRAS por meio do serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, crianças e adolescentes assistidos no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), potencializando criatividade e a produção lúdica.

O início do Concurso se deu em 2013, em comemoração aos 25 anos do ECA (Estatuto da Criança e Adolescente), em parceria com a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro e, nesta quinta edição, ainda conta com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC), Secretaria Municipal de Edução e Museu Eva Klabin.

Neste ano, o tema proposto para a categoria redação é “Se eu fosse um livro, qual história eu contaria?”, e para categoria desenho “Se eu fosse um super herói, qual herói eu seria?”. Os participantes poderão se expressar de forma livre e até contar suas próprias histórias.

A cerimônia de lançamento foi marcada por uma grande movimentação cultural, que já era possível ver logo na entrada, onde o público convidado, participantes e autoridades convidadas foram recepcionados por artistas circenses com pernas de pau em um coffee break. Logo no início, foi pedido um minuto de silêncio em homenagem ao escritor e produtor cultural Ecio Salles, que já participou do concurso por duas edições como jurado e tinha sido velado, horas antes também na Biblioteca Parque Estadual, no Centro da Cidade.

Momentos depois, a Orquestra do Bem fez uma linda apresentação, enquanto passavam no telão fotos dos trabalhos apresentados nas últimas edições. Em seguida, o grupo BR Ninja deu um show de simpatia e gingado com o “passinho”, e ainda animou os meninos acolhidos nos abrigos, fazendo um deles subir ao palco e participar da dança.

E neste clima animado, o secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, João Mendes de Jesus, anunciou o lançamento do concurso ao lado da Defensora Pública do Estado Eufrásia Maria Souza das Virgens, o representante do SECEC, Pedro Gerolimich, o coordenador de fomento Cultural, Marcelo Barros, o coordenador do Programa de Educação do Museu, Eva Klabin, Carlos MIguez e a subsecretária de Proteção Básica e Especial da SMASDH, Danielle Murtha.

O grupo artístico do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do Cras Zumbi dos Palmares se apresentou na sequência e emocionou a todos presentes com o espetáculo que mescla imagens de acontecimentos marcantes do país com um pedido de visibilidade para aqueles em situação de vulnerabilidade por intermédio da dança.

Para o secretário da SMASDH, o evento tem grande relevância para a pasta pois é uma forma de dar voz e promover a inclusão cultura dessas crianças e adolescentes atendidas pela Assistência Social.

“É com enorme prazer que participo dessa edição do concurso, que sem dúvida é um dos eventos mais importantes desta Secretaria. É nossa obrigação incluir os assistidos pela SMASDH socialmente através da arte, da cultura e do lazer e não medimos esforços para isto. Nossa missão é oportunizar a eles situações que possam prospectar futuros melhores” – enfatizou o secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, João Mendes de Jesus.

O Concurso, assim como toda sua organização, incluindo o evento, foi promovido pela equipe do Circulando, projeto da SMASDH responsável pela parte cultural e de lazer da Secretaria. Nesta edição, pretende-se que o número de inscritos cheguem próximo ou ultrapasse os dois mil crianças e adolescentes.