CODIM – Rio discute problemas em atendimento nas maternidades

Publicado em 30/11/2018 - 18:08 | Atualizado em 08/03/2019 - 16:23

O Conselho dos Direitos da Mulher da Cidade do Rio de Janeiro (Codim-Rio) realizou, hoje, no Salão Nobre da Câmara Municipal, uma roda de conversa com o tema “Mortalidade Materna”.

O Codim existe desde 2016 e integra a Subsecretaria de Políticas Para a Mulher, subpasta da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH). O propósito do Conselho é reunir estratégias para o bom andamento do trabalho voltado para as políticas da mulher.

O encontro foi uma iniciativa da vereadora Luciana Novaes, presidente da Comissão de Defesa da Mulher, na Câmara Municipal, e teve como objetivo discutir a necessidade de humanização no atendimento de saúde às mulheres e o alto número de mortes e sequelas pós parto.

A subsecretária de Políticas para a Mulher, Comba Marques Porto, presidiu a Mesa, que foi composta pela superintendente das Maternidades da Secretaria Municipal de Saúde, Carla Lopes Porto Brasil, presidente da Comissão de Defesa da Mulher, da Câmara Municipal do Rio, Luciana Novaes, presidente da Associação de Doulas do Rio de Janeiro (Adoulas RJ), Morgana Eneile, participante do Fórum de Mulheres Negras e Mestre em Saúde Coletiva da UFRJ, Luciene Lacerda, e a enfermeira obstétrica, vinculada ao Coletivo de Parteiras, Maira Takemoto.

Durante o debate foi relatado o problema de abusos no atendimento e humilhações verbais que muitas vezes as mulheres são submetidas nas unidades de saúde. Morgana Eneile destacou sobre a importância da Lei 7.314, de 15 de junho de 2016, que garante a entrada e permanência das doulas nas maternidades e instituições congêneres.