Casa da Mulher Carioca Tia Doca em clima de carnaval

Publicado em 18/02/2020 - 11:58 | Atualizado em 11/03/2020 - 13:43
Fotos: Wanderson Cruz

A Subsecretaria de Políticas para a Mulher (SUBPM), da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) segue durante o mês de fevereiro uma agenda bastante intensa de combate à importunação sexual e prevenção a violência contra a mulher. Dados do 180 – Central de Atendimento à Mulher – afirmam que ocorre um aumento de 20% nos meses em que acontece o carnaval nos casos relacionados a denúncias de violência sexual contra mulheres.

Pensando nisso a SMASDH criou a campanha “FOLIA SIM, IMPORTUNAÇÃO SEXUAL NÃO”. Os técnicos da Secretaria estão preparados para orientar o público durante o período carnavalesco para que se houver alguma vítima, que procure os órgãos competentes, como a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) e o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) Chiquinha Gonzaga, que oferece acompanhamento psicológico e orientação jurídica às mulheres em situação de violência doméstica e familiar, sendo que informações às mulheres constarão também no material impresso da campanha.

Durante esta semana a equipe de profissionais da SUBPM tem distribuído panfletos e ventarolas com orientação para a população em pontos estratégicos da cidade. A Secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Tia Ju se mostra bastante presente nas ações.

“Precisamos conscientizar os foliões sobre a importunação sexual, que é crime. Estaremos atentos nesse Carnaval com equipes especializadas nas ruas. As mulheres podem contar com todo empenho da nossa Secretaria”, ressalta Tia Ju.

Casa da Mulher Carioca em dia de festa pré – carnaval

Para comemorar esta época festiva a Casa da Mulher Carioca Tia Doca, acaba de realizar no Palácio Rio 450, um baile de carnaval todo especial visando oferecer momentos de alegria e confraternização. Muita música e danças fizeram a festa das mulheres assistidas pela Secretaria. A subsecretária da SUBPM, Joyce Braga falou sobre a ação.

 

Fotos: Wanderson Cruz

 

“Nosso maior objetivo é integrar as mulheres das Casas da Mulher Carioca e do Abrigo Sigiloso. Elas têm que celebrar a vida e comemorar. São mulheres empoderadas e mulheres de superação que viraram uma página e estão reconstruindo as suas histórias, e esse é um espaço de troca”, comemora Joyce.

Fotos: Wanderson Cruz

Em meio a muita música e alegria, o ponto alto do evento foi a apresentação da bateria e das passistas da Escola de Samba Filhos da Águia da Portela, que levou os presentes a cair no samba. A aposentada e usuária sempre presente da Casa Tia Doca, Creusa Noronha aproveitou cada minuto. Para ela, a festa teve um sabor de renovação. “Foi muito bom, eu estou passando por um momento difícil de problema de saúde com a minha irmã e aqui foi um desabafo um momento de total descontração. Estou saindo outra pessoa”, explica. Sobre o trabalho da Casa Tia Doca, ela fala com muito carinho. “Aquele lugar é para mim uma terapia. A equipe de profissionais é maravilhosa. Hoje cedo eu já me reuni com as outras mulheres e participei da ação de combate à importunação sexual no Centro de Madureira. É sempre muito importante pra minha vida. Eu peço a Deus para a Casa da Mulher Carioca nunca fechar, esse lugar é tudo pra mim”, conclui.

 

Fotos: Wanderson Cruz

 

  • 18 de fevereiro de 2020