Amor Próprio e Empoderamento feminino são temas da Subsecretaria de Políticas para a Mulher

Publicado em 17/10/2019 - 15:54 | Atualizado em 18/10/2019 - 09:31
A subsecretária da SUBPM, Joyce Braga, a psicóloga, Presciliana Vital, a escritora, Michele Pin e a diretora do CRAS, Emília Nascimento. Foto: Wanderson Cruz / Prefeitura do Rio

Levar informação de qualidade de forma gratuita e com fácil acesso para a população carioca, essa é a proposta das Rodas de Conversa “Desafio do Amor Próprio” e “Rompendo o Silêncio”, promovidas pela Subsecretaria de Políticas para a Mulher (SUBPM), subpasta da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH).

Até hoje cerca de dez mil mulheres de diversas regiões da cidade do Rio de Janeiro participaram das rodas de conversa. Os assuntos são variados e esclarecem dúvidas que podem ser rotineiras como questões ligadas a relacionamentos abusivos, empoderamento feminino entre outros.

Para a psicóloga da Casa da Mulher Tia Doca, Presciliana Vital esses encontros são de grande importância. “As rodas de conversa são um momento de fala e escuta, onde as mulheres podem compartilhar suas questões e também ouvir as demais, trazendo assim uma troca que cientificamente é comprovada levando a ampliação da visão dessas mulheres sobre si e sobre o mundo” – explica.

A psicóloga da SUBPM, Presciliana Vital ouvindo de perto as participantes do encontro. Foto: Wanderson Cruz / Prefeitura do Rio

Segundo ela, os eventos quando conduzidos por um psicólogo ou outro profissional, são um meio de proporcionar saúde através da escuta ativa e transcendendo aos métodos de tratamento de doenças sejam físicas ou mentais.

A dona de casa Tatiana do Espírito Santo é uma das participantes das rodas de conver sa da SUBPM. Usuária do Centro de Referência e Assistência Social (CRAS), Dr. Sobral Pinto, localizado no bairro do Engenho de Dentro, na Zona Norte da cidade, ela conta que é grata pelas reuniões.

Tatiana do Espírito Santo com o pequeno, Atho. Foto: Wanderson Cruz / Prefeitura do Rio

“É sempre muito bom participar. Achei ótima a roda de conversa “Desafio do Amor Próprio”. Em minha opinião, o maior livro que existe é a Bíblia e ele diz que nós somos cartas a ser lidas, o que vai fazer essa escrita em nossas cartas é aquilo que aprendemos aqui. Conhecer outras experiências de vida nos traz um aprendizado tremendo. Levo essa lição para minha vida como mulher e também para ser melhor para os meus filhos. Aprendi muito!” – conclui.