Piercing

 

Como deve ser o gabinete de aplicação:

• O local deve oferecer privacidade, iluminação e ventilação adequada, e também deve ter paredes e pisos que permitam limpeza úmida;

 

• O filtro do aparelho de ar condicionado deve ser limpo periodicamente;

 

• Deve haver lavatório com toalheiro de papel, sabonete líquido e lixeira acionada por pedal;

 

• Macas, cadeiras, suportes, cabos e bancadas devem ser desinfectados por fricção com álcool a 70º;

 

• Deve ser usado protetor descartável nas macas; 

 

• O estabelecimento deve realizar o cadastro dos clientes atendidos com data, nome, idade, endereço, descrição, localização do piercing e identificação do profissional. É necessário também um livro de registro para a anotação de acidentes de qualquer natureza, tanto com o profissional como com o cliente.

 

 

Cuidados com os materiais utilizados:

• Use agulhas e jelcos descartáveis;

 

• É obrigatória a esterilização em equipamento apropriado, como autoclave, dos adornos e instrumentais, de acordo com as normas sanitárias vigentes;

 

• O equipamento de esterilização deve passar por manutenção preventiva periódica, e o material a ser esterilizado deve estar acondicionado em embalagens individuais apropriadas;

 

• Aplique somente adornos desenvolvidos exclusivamente para esta finalidade;

 

• Descarte o material pérfuro-cortante em recipiente rígido, com tampa e devidamente identificado, a ser coletado como resíduo de saúde, por empresa cadastrada junto à Comlurb.

 

 

Cuidados na hora da aplicação do piercing ou do alargamento da perfuração:

• Traga para perto de si todo material que será necessário;

 

• Lave as mãos utilizando água e sabão líquido, secando-as com auxílio de toalha de papel;

 

• Posicione o cliente e realize o preparo da região do corpo que receberá o piercing;

 

• Utilize luvas, gorro, máscara e avental;

 

• Ao final do procedimento, descarte todo o material na presença do cliente;

 

• O profissional deve prestar ao cliente esclarecimentos sobre os riscos e cuidados após colocação.

 

É obrigatório o cadastramento do estabelecimento junto à Vigilância Sanitária, de acordo com a legislação específica para a atividade de piercing (Resolução Municipal SMG Nº 690 de 30 de julho de 2004). Outras normas poderão vir a substituir a legislação em vigor, cabendo ao estabelecimento adequar-se às modificações ocorridas.

 

 

Técnicas inadequadas na aplicação do piercing podem causar agravos à saúde, como:

• Transmissão de doenças infectocontagiosas, como aids, hepatite, tétano, sífilis e outras; 

 

• Sangramento intenso e infecções severas;

 

• Comprometimento de vias aéreas superiores, dificultando a respiração e a fala;

 

• Fratura dental com trauma na mucosa, na gengiva e no palato (céu da boca);

 

• Cerca de 40% das pessoas que utilizaram piercing por, pelo menos, dois anos apresentaram inflamação crônica acentuada, que pode se transformar em câncer;

 

• Quelóides e hemorragias, além de complicações graves para as pessoas com problemas cardíacos e portadores de diabetes.

 

 

Caso encontre condições inadequadas, ligue para a Central de Atendimento da Prefeitura – 1746.

 

 

CLIQUE AQUI para acessar folhetos e cartazes sobre Produtos e Serviços de Beleza.