Morcegos

São animais considerados úteis ao homem e à natureza, devendo ser preservados. Em ecossistemas naturais, eles promovem a polinização das plantas e a dispersão das sementes de diversas plantas, podendo, inclusive, recuperar áreas desmatadas. Os morcegos insetívoros são considerados de grande importância ecológica, uma vez que auxiliam no controle de insetos noturnos, tanto em áreas rurais quanto urbanas. Fazem parte da fauna brasileira e, portanto, são protegidos pela Lei Federal 9.605/98 (lei do Meio Ambiente). Sua perseguição, caça ou destruição são considerados crimes.

 

 

Características

• São os únicos mamíferos que possuem capacidade de voar, devido à transformação de seus braços e dedos em asas.

 

• Estão presentes em todos os continentes, não sendo encontrados nos polos. Em geral, são pequenos, na grande maioria não excedendo 100 gramas.

 

• Apresentam hábitos crepusculares e noturnos, e parte significativa das espécies orienta-se pela ecolocalização, emitindo sons em alta frequência inaudíveis ao homem. Esses sons, ao encontrarem um obstáculo, retornam em forma de ecos, que são captados pelos ouvidos dos animais, possibilitando sua orientação.

 

• Assim como todos os mamíferos, os filhotes são gerados no útero das mães. A gestação dura de dois a sete meses, dependendo da espécie, e, geralmente, nasce apenas um filhote por gestação. Eles se alimentam inicialmente com leite materno e, gradativamente, passam a ingerir o mesmo alimento dos adultos.

 

 

Classificação conforme a alimentação

Onívoros: utilizam vários tipos de alimentos (frutos, folhas, néctar, insetos e pequenos animais).

 

Frugívoros: comem os mais variados frutos, como mangas, amêndoas, goiabas, bananas e frutos silvestres. É muito comum vê-los em cidades se alimentando em mangueiras e amendoeiras.

 

Nectarívoros / Polinívoros: são morcegos que, assim como os beija-flores (aves), alimentam-se de néctar e do pólen produzidos por muitas flores. São chamados morcegos beija-flores.

 

Insetívoros: alimentam-se de insetos, como mosquitos, besouros, gafanhotos e mariposas.

 

Carnívoros: caçam pequenos animais vertebrados, como ratos, pássaros, lagartos e até outros morcegos.

 

Piscívoros: comem pequenos peixes.

 

Hematófagos: são os famosos morcegos vampiros, que se alimentam exclusivamente de sangue de animais vertebrados (aves e mamíferos).

 

 

Transmissão de doenças

Mesmo sendo de muito valor para o ecossistema, os morcegos podem causar doenças. Eles não costumam atacar. Porém, podem morder quando perturbados ou indevidamente manipulados. Se estiverem infectados, podem transmitir a raiva, que é uma doença grave e que pode ser fatal na ausência de pronto atendimento. Morcegos com raiva podem apresentar mudanças de comportamento, como voos fora dos horários habituais, agressividade e falta de coordenação motora.

 

O morcego hematófago (Desmodus rotundus) é o principal transmissor da raiva para bovinos e equinos, ao se alimentar do sangue destes animais. Os morcegos não hematófagos também podem se infectar com o vírus da raiva pelo contato com morcegos infectados.

 

Raiva: doença viral transmitida por morcegos principalmente em áreas rurais.

 

Histoplasmose: doença respiratória causada por fungos que se desenvolvem nas fezes dos morcegos acumuladas nos abrigos.

 

 

Medidas preventivas

• Nunca tente tocar em morcegos que eventualmente entrem em casa ou apareçam caídos no chão. Neste caso, imobilize o animal numa caixa virada para baixo e o mantenha preso. Em seguida, entre em contato com o Centro de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho – CCZ , por meio da central de atendimento 1746, que enviará uma equipe para o recolhimento do animal.

 

• Em caso de ataque a pessoas causado por morcegos , como mordeduras ou arranhaduras ,  procure orientação médica imediata nas Unidades de Saúde que fazem tratamento antirrábico humano  . No caso de agressão a animais domésticos  ou mesmo contato do animal doméstico com morcegos , entre em contato com a central 1746 . Sua solicitação será encaminhada ao CCZ, que enviará uma equipe ao local para verificar a ocorrência

 

• Umedeça, remova e acondicione as fezes desses animais na limpeza de locais fechados. Utilize sempre luvas e máscara.

 

• É preciso vedar juntas de dilatação dos prédios e fechar forros de sótãos e residências, ou qualquer abertura por onde os animais possam entrar e se abrigar.

 

• Solicite a poda de árvores em ruas muito arborizadas onde existam colônias de morcegos causando incômodos.