Formol

O formol é usado para embalsamar peças de cadáveres e também na fabricação de drogas e pesticidas. Para obter o efeito alisante nos cabelos, o formol é adicionado clandestinamente aos cosméticos em quantidades elevadas, o que coloca em risco a saúde tanto de clientes como de cabeleireiros.

 

A Vigilância Sanitária Municipal do Rio de Janeiro, sempre atenta à saúde da população, alerta os usuários dos serviços de beleza para os riscos do uso de formol em produtos clandestinos para alisamento de cabelos. São vários os efeitos nocivos que esta substância pode causar quando adicionada irregularmente aos alisantes. 

 

 

As escovas clandestinas com formol podem causar:

• Irritação nos olhos e nas vias respiratórias;

• Queimaduras na pele e no couro cabeludo;

• Reação alérgica podendo levar à morte por choque anafilático;

• Câncer e problemas reprodutivos (malformações em fetos).

 

Em altas concentrações pode causar pneumonia, bronquite e laringite.

 

No caso de inalação, os sintomas mais frequentes são fortes dores de cabeça, tosse, falta de ar, vertigem, dificuldade para respirar e edema pulmonar.

 

O contato com o vapor ou com a solução pode deixar a pele esbranquiçada, áspera e causar forte sensação de anestesia e necrose na pele superficial.

 

Outras consequências são danos degenerativos no fígado, rins, coração e cérebro. 

 

Longos períodos de exposição podem causar dermatite e hipersensibilidade, rachaduras na pele (ressecamento) e ulcerações principalmente entre os dedos; podem ainda causar conjuntivite.

 

Fonte: Instituto Nacional do Câncer.

 

 

O uso, a comercialização, a oferta ou a adição clandestina de formol em cosméticos é crime previsto em lei.

 

Lei Federal 6.437/77: prevê penalidades para o infrator.

 

Lei Estadual 5.409/09: obriga estabelecimentos de beleza e estética a exibir aviso de proibição do uso e danos à saúde causados pelo formol.

 

Lei Estadual 5.421/09: proíbe o uso de formol nos salões de Beleza. 

 

Resolução RDC ANVISA 36/09: proíbe a venda de formol no comércio.

 

 

A Vigilância Sanitária Municipal do Rio de Janeiro conta com você, cidadão, para combater a adição clandestina de formol em produtos cosméticos. Denuncie e divulgue os efeitos nocivos que esta prática causa aos usuários e aos profissionais dos salões.

 

Lembre-se: saúde e beleza devem caminhar juntas!

 

 

Caso encontre condições inadequadas, ligue para a Central de Atendimento da Prefeitura – 1746.

 

 

CLIQUE AQUI para acessar folhetos e cartazes sobre Produtos e Serviços de Beleza.