Vigilância Sanitária segue com o time em campo

13/06/2019 16:15:00


A Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) vai atuar com técnicos das coordenações de Alimentos, Saúde e Engenharia em todos os cinco dias de jogos no Estádio Mário Filho e também nos eventos da Fan Fest, que acontecerão na Praça Mauá, na Região Portuária. Mas como vem fazendo há dois anos em todos os grandes eventos realizados na cidade, o órgão vinculado à Secretaria Municipal de Saúde iniciou o roteiro de atividades para a Copa América 2019 em 14 de janeiro. Nesses cinco meses, foram 22 dias de ações prévias, com as equipes orientando e inspecionando hotéis, centros de treinamento, o Maracanã, shoppings e outros comércios, levando ainda capacitação de higiene na manipulação de alimentos a mais de 300 profissionais que vão atuar em pontos envolvidos no torneio internacional. 
 


As inspeções que continuam até 7 de julho, dia do encerramento da Copa América, resultaram em 622 inspeções, 194 infrações, 16 interdições (sete delas totais) e 225 termos de intimação com exigências a serem cumpridas, como adequações estruturais e limpeza e organização de depósitos. Até esta quarta-feira, dia 12, foram vistoriados dez hotéis da Zona Sul e Barra da Tijuca, três centros de treinamento, os shoppings Boulevard e Tijuca e comércios de alimentos na Grande Tijuca. A Vigilância realizou também reunião de alinhamento como forma de preparar os estabelecimentos para minimizar os riscos à saúde pública durante o evento. As equipes conferiram as condições sanitárias de espaços como cozinhas e banheiros, vistoriando ainda reservatórios de água, sistemas de climatização, gerenciamento de resíduos e até campos de futebol. 

O roteiro das inspeções

O roteiro de inspeção da Vigilância começou em 14 de janeiro, nas cozinhas do Novotel e do Grand Hyatt, responsáveis pelo buffet servido no evento de sorteio dos grupos, realizado dez dias depois na Cidade das Artes, também vistoriada. Além da fiscalização, técnicos da Superintendência de Educação da Subvisa capacitaram oito turmas de profissionais em higiene na manipulação de alimentos, além de técnicos da área de saúde e funcionários da rede hoteleira que receberam treinamentos exclusivos para que as condições higiênico-sanitárias sejam adequadas ao evento.

 


Pontos da competição - As equipes de inspeção da Vigilância estiveram duas vezes no Maracanã (25 de março e 17 de maio), que receberá outra vistoria antes do próximo dia 16, data do primeiro jogo no estádio carioca. Em 20 de maio, técnicos fiscalizaram campos de futebol, academias e outros espaços da Escola de Educação Física do Exército (EsEFex),  na Urca, que servirá como centro de treinamento das delegações. Dois dias depois, em 22 de maio, foi a vez do Clube da Aeronáutica, na Barra da Tijuca, que será utilizado para treino dos mais de 50 árbitros do torneio. Seguindo o roteiro de inspeção, mais dois dias, em 24 de maio, a inspeção foi no Centro de Treinamento do Fluminense, em Jacarepaguá. Além de fiscalizarem cozinhas e outros espaços de alimentos, estruturas e sistemas de ar, água e gerenciamento de resíduos, as equipes fazem orientações para que os estabelecimentos se adequem às normas de prevenção aos riscos de saúde. 

Alinhamento – No último dia 4, a Vigilância realizou em sua sede reunião de alinhamento com fornecedores que vão atuar no Maracanã e demais espaços do torneiro. No encontro, mais de 50 profissionais de hotéis, empresas de catering e alimentação, além de representantes do Comitê Organizador do evento, receberam orientações diversas, como informações sobre o novo modelo on-line de licenciamento sanitário. 

- Seguimos conferindo as condições dos estabelecimentos envolvidos nesse importante evento, que tem a estimativa de atrair ao Rio cerca de 40 mil pessoas. Estamos capacitando profissionais da manipulação de alimentos e hoje, com o Vigilância no Shopping, iniciamos as vistorias no comércio de alimentos do entorno do Maracanã, com alertas e orientações para que se adequem e ofereçam um serviço que não represente riscos à saúde da população - adianta Márcia Rolim, subsecretária de Vigilância Sanitária.


Imagens relacionadas: