Secretaria Municipal de Transportes - SMTR
Equipes da SMTR flagram quase 200 irregularidades em apenas um dia de fiscalização

27/06/2018 12:23:00


 

Durante ação de fiscalização na última segunda-feira (25), fiscais da Secretaria Municipal de Transportes flagraram 197 irregularidades em diversos bairros. Ao todo, 185 multas foram aplicadas e 12 veículos foram lacrados.

 

Na Zona Sul, nos bairros de Botafogo, Copacabana e Ipanema, dois táxis foram lacrados, e um deles também multado, por colocar em operação veículo não submetido à vistoria anual e por não portar cartão de Auxiliar de Transporte; outro táxi foi multado por parar em desacordo com o estabelecido pelo Código de Trânsito Brasileiro; e um motorista de carro particular também foi autuado por parada irregular.

 

Em Bonsucesso, outro táxi foi lacrado por estar circulando sem ter sido submetido à vistoria anual. No bairro do Catete, uma van foi autuada por deixar o condutor de usar cinto de segurança.

 

No Centro, oito carros de aplicativos foram multados por estacionamento irregular; seis táxis foram autuados por parada e estacionamento irregulares, deixar de indicar com antecedência manobra de mudança de faixa, além de deixar de manter luz baixa acesa durante a noite. Os fiscais também autuaram 27 carros particulares por iregularidades, como condutor deixar de usar cinto de segurança, dirigir ameaçando demais veículos e utilizando o telefone celular, transitar com o veículo em divisores de pista de rolamento/marcas de canalização, além de parada e estacionamento irregulares.

 

Na Ilha do Governador, 37 carros de aplicativos foram multados por estacionar em viadutos, em pontos de embarque/desembarque de passageiros e em locais proibidos pela sinalização. Dois veículos de fretamento foram lacrados por repassá-los a terceiros sem autorizaçao, e outro foi multado por não portar documentação obrigatória para operação do serviço. Duas vans também foram lacradas por estarem circulando sem terem sido submetidas à vistoria anual. Quatro táxis foram autuados por condutor deixar de usar cinto de segurança, estacionar em viaduto, desobedecer ordem da autoridade de trânsito e transitar em faixa exclusiva. Também foram multados 22 motoristas de carros particulares por infrações, como estacionamento em acostamento, viaduto e em fila dupla, condutor deixar de usar cinto de segurança e utilizar telefone celular enquanto dirige.

 

Em Santa Cruz, dois ônibus foram autuados por não ter sido submetido à vistoria anual e por não estar devidamente licenciado. Uma van foi lacrada por circular sem ter sido submetida à vistoria anual, e outras quatro foram multadas por condutor deixar de usar cinto de segurança, transitar com o veículo com lotação excedente, estacionamento irregular e por permitir que o auxiliar de transporte exerça função sem estar devidamente registrado. Um táxi também foi lacrado no bairro por transitar sem ter sido submetido à vistoria anual.

 

Em Santíssimo, cinco vans foram multadas por condutor dirigir utilizando o celular, deixar de usar o cinto de segurança, ameaçar outros veículos, desobedecer ordens da autoridade de trânsito e transitar com o veículo em divisores de pista de rolamento/marcas de canalização.

 

Em Santo Cristo, cinco carros de aplicativos foram multados por motorista deixar de usar o cinto, estacionar em local proibido pela sinalização e por transitar em divisores de pista de rolamento/marcas de canalização. Três táxis foram lacrados por circularem sem terem realizado vistoria anual e dois foram autuados por condutor deixar de usar cinto de segurança e transitar em divisores de pista de rolamento/marcas de canalização. A equipe também flagrou 55 irregularidades cometidas por motoristas de carros particulares, como parada e estacionamento irregulares, dirigir usando o celular e sem cinto de segurança, e parada e estacionamento irregulares.

 

Em Sepetiba, três vans foram multadas por condução de veículo que não esteja devidamente licenciado e registrado, além de não portar documentos obrigatórios.

 

A SMTR destaca a importância da participação da população no registro de denúncias envolvendo serviços prestados pelos transportes públicos para que as ações sejam direcionadas e as irregularidades, coibidas.