Na Bienal, alunos da rede municipal de ensino realizam uma série de atividades no estande da SME

06/09/2019 18:55:00


Os pavilhões do Riocentro estão recebendo uma multidão de crianças, adolescentes e adultos apaixonados por livros. Na 19º edição da Bienal do Livro, os alunos e professores da Prefeitura do Rio também estão participando do festival literário do Brasil. No estande da SME — o R53, localizado no pavilhão 4 (verde), rua R — os mestres e seus alunos estão participando de diversas atividades, como oficinas pedagógicas, encontro com escritores, contação de histórias, exposição de trabalhos e consulta de títulos para leitura. São esperados mais de 600 mil visitantes na Bienal.

Para a gerente de leitura da SME, Carla Celestino, a visitação das escolas à Bienal do Livro é um momento que permite reforçar a importância da leitura.

— Além da visitação, nós oferecemos para todos os professores e estudantes que visitarem a Bienal neste ano o estande da Secretaria Municipal de Educação. Aqui oferecemos um cantinho de leitura, contação de histórias, oficinas, um mural de recados e também os produtos da MultiRio, da programação e os jogos interativos no computador.

Muitos professores também aproveitaram a visita à Bienal para renovar o acervo das salas de leitura. Com caneta na mão, a professora de sala de leitura Fernanda Helena foi riscando da sua lista os títulos sugeridos pelos alunos da Escola Municipal Nicarágua, em Realengo. Para ela, o festival é também um momento de encontrar obras importantes para o currículo e também para a vida dos estudantes.

— Estou levando livros de contos, poesia, a coleção da Thalita Rebouças, que eles pedem muito, de jogos, e outros mais. Hoje em dia, como as crianças e adolescentes ficam muito no celular, dar valor ao livro é importante para mostrar a eles que existem outras opções de entretenimento.

Atividades educacionais

Além de ser um local de compartilhamento de experiências pedagógicas, o estande da SME na Bienal está promovendo atividades para alunos da rede municipal. Na quinta-feira, 5/9, a arte educadora e atriz Beth Araújo aplicou a oficina de criação de livros de pano para 25 alunos da Escola Municipal Domingos Bebiano, em Inhaúma, homenageando a escritora Ana Maria Machado e seus 50 anos de literatura através da customização da obra “Menina bonita do laço de fita”.

— Essa oficina é a única no Brasil em que a criança faz o livro. A gente traz a base do livro costurada e em a cada folha de pano os alunos incluem colagens e o texto deles. E não poderíamos deixar de estar aqui, homenageando essa escritora tão importante e garantindo a eles um momento de interação com uma história tão bonita.

Maria Eduarda dos Santos, 11 anos, do 6º ano da escola da Prefeitura do Rio, adorou a experiência de criar seu próprio livro. A estudante é leitora voraz da escritora Ana Maria Machado e se encantou com o passeio pelos corredores da Bienal do Livro.

— Eu já li outros livros dela. A Ana Maria Machado é muito legal e escreve de uma forma muito bonita. Leio desde pequena e não imaginava que existia um lugar tão grande como esse com tantos livros para a gente conhecer. Vou falar para a minha mãe voltar comigo outro dia.

Quem for passar pelo estande da SME na Bienal também poderá deixar o seu recado sobre o que achou do evento no mural “O que a leitura representa”. Os alunos e professores da Escola Municipal Isaias Alves, em Guadalupe, escreveram mensagens sobre o valor da leitura. A escola recebeu, em agosto, a visita da atriz mirim e escritora Letícia Braga, pelo projeto Bienal nas Escolas, ação da SME em parceria com a Bienal do Livro que levou cinco escritoras consagradas para as unidades escolares da Prefeitura entre os meses de julho e agosto.

As estudantes Adriane de Sousa Assumpção, Agatha Freiras, de 11 anos, e Rafaela Angelina Ancelmo, de 9 anos, são fãs da escritora infantil e garantiram sua cópia do livro “O que eu vou ser quando crescer” durante o passeio. Para Adriane, a leitura pode ampliar a imaginação.

— Sempre que eu leio um livro eu me sinto mais inspirada e viajo em outros mundos que não teria a chance de conhecer hoje — disse a aluna do 6º ano da Escola Municipal Isaias Alves.

Os alunos da Escola Municipal Monteiro Lobato, em Guaratiba, garantiram a foto no pavilhão dedicado ao público infantil pelo ambiente e se encantaram com a experiência imersiva e sensorial que funciona como um grande livro pop-up que ganha vida. A coordenadora da escola que homenageia o escritor do Sítio do Pica-Pau Amarelo, a professora Rita de Cássia, acredita que a leitura é fundamental para todas as idades.

— Incentivar a leitura é uma missão nossa como educadores. Sem ela a sociedade não avança e todo leitor tem o potencial de ampliar seus horizontes e ser o que quiser.

Mais incentivo à leitura

Além de estar presente na Bienal do Livro para receber e orientar alunos, professores e servidores e realizar parcerias diversas, como a Bienal nas Escolas, a SME promove, tradicionalmente, outros projetos de leitura, como a visita de autores e multiplicadores culturais nas unidades da rede municipal e a aquisição de títulos para compor o acervo das 1.540 creches, Espaços de Desenvolvimento Infantil e escolas. Também recebem obras diversificadas o Centro de Referência de Educação de Jovens e Adultos, o Instituto Helena Antipoff, a Escola de Formação Paulo Freire, a Sala de Leitura Lourenço Filho, que funciona no prédio central da Prefeitura do Rio, e as 14 Bibliotecas Escolares Municipais distribuídas por todas as regiões da cidade.




56_INSTANCE_en5I 56_INSTANCE_en5I p_p_id_56_INSTANCE_en5I_


Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro - Sede: Rua Afonso Cavalcanti, 455 - Cidade Nova - 20211-110