Caça aos Asteroides

28/11/2017 15:29:00


 
 
 
Em novembro, os cientistas e astrônomos que rastreiam o universo em busca de corpos celestes não catalogados contam com um reforço carioca: um grupo de 180 estudantes da rede pública de ensino do Rio de Janeiro inscritos. Eles participam, nas Naves do Conhecimento da prefeitura, do projeto Caça aos Asteroides, organizado pela instituição americana Colaboração Internacional de Pesquisa Astronômica (IASC). Além da experiência de encontrar um novo objeto celeste, a criança que identificar um novo corpo celeste ganha o direito de batizá-lo. No Rio de Janeiro, o programa está sendo conduzido nas nove Naves do Conhecimento espalhadas pela cidade. 
Criada há 10 anos na Universidade Hardin-Simmons localizada em Abilene, Texas, a campanha Asteroids’ Search tem como objetivo envolver estudantes de todo o mundo no trabalho de análise das fotos dos principais e mais potentes telescópios do mundo. A missão dos jovens é encontrar objetos do Sistema Solar que tenham sido captados nas imagens dos telescópios, mas que sejam muito tênues para serem identificados automaticamente pelos sistemas informatizados. 
Todos os anos, a IASC realiza sete campanhas de busca de asteroides no mundo. Treinadas por especialistas, as crianças passam um mês buscando os chamados objetos do Sistema Solar que não estejam identificados. Atualmente, são mais de sete mil jovens participando anualmente, distribuídas em 80 países.
Segundo o IASC, as chances de detectar um novo objeto são significativas – em média, a cada 6 imagens um objeto próximo da Terra não detectado pelo sistema é descoberto. Desde que o programa foi criado, em 2006, foram descobertos 1251 objetos provisórios 43 Cinturões de Asteroides numerados. 5 Objetos Transnetunianos provisórios, 2 objetos Transnetunianos numeradas, 10 Objetos Próximos da Terra provisórios (PHA 2009 BD81) e 1 cometa (276 / P Vorobjov).



Serviços Serviços