Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro

Orla Conde se destaca como potencial de negócios

09/07/2013 16:52:00  » Autor: Fotos: Bruno Bartholini/Cdurp, Ricardo Cassiano e Divulgação


Com boa percepção para as chances de trabalho, artistas de rua e ambulantes chegaram com força à Orla Conde na melhor linha "o artista tem de ir aonde o povo está". Servem como termômetro, e os analistas do Sebrae/RJ confirmam que eles estão certos: a instituição divulgou estudo sobre as oportunidades de negócios no passeio público de 3,5 Km construído pelas obras do Porto Maravilha. O espaço de lazer e convivência pelo Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) se estende do Armazém 8 do Cais do Porto à Praça da Misericórdia com atrações diversificadas: AquaRio, grafites impressionantes como o mural Etnias, o Museu do Amanhã, o Museu de Arte do Rio (MAR), o CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil), o Mosteiro de São Bento e a Ilha Fiscal, citando somente alguns exemplos. 
 

Desde a sua inauguração, misto de calçadões, deques, ciclovias, praças, parquinhos e áreas de convivência, o lugar tem encantado pedestres, corredores, patinadores e ciclistas ao revelar uma vista privilegiada da Baía de Guanabara. Os estabelecimentos podem, como os artistas que já entenderam o espírito da coisa, ampliar sua estrutura e ganhos. Os cruzeiristas são os que mais gastam (R$ 426,51), enquanto os turistas nacionais e estrangeiros gastam R$ 263,85 e R$ 284,26 respectivamente. Visitantes locais gastam em média até R$ 100. O tíquete de consumo do visitante hoje é variado (veja quadro abaixo), mas pode ser potencializado.


De acordo com o gerente de Desenvolvimento Econômico e Social da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (Cdurp), Rilden Albuquerque, há quatro anos, restaurantes e bares não abriam no fim de semana e hoje a região já apresenta cenário de intensa atividade aos sábados e domingos.

 

- A Prefeitura do Rio quer que a revitalização se reverta em benefícios para fixar comerciantes e empresários, trazendo oportunidade de crescimento, atraindo novos negócios. Isso representa mais oportunidades de emprego, geração de renda e qualidade de vida. Então, há investimento em eventos para todos os tipos de visitantes; da programação interna dos equipamentos culturais, mas também eventos abertos, shows e festivais culturais que atraem público, o que impacta positivamente nos negócios - justificou Albuquerque, que analisa os pedidos de eventos em áreas abertas, espaços públicos:

 

- Os pedidos cresceram muito. Os produtores culturais sinalizam chegada de público, e os negócios devem se adequar para acompanhar essa boa fase.



O Boulevard Olímpico foi eleito o melhor local turístico do Rio de Janeiro, vencendo tradicionais pontos da cidade, como a praia de Copacabana e o Cristo Redentor. A Orla Conde continua sediando grandes eventos da cidade que trazem público extra capaz de movimentar a economia local: Art Rio, Rio Gastronomia, Uma Aventura de Natal, shows e festivais.

 

"Parte dos armazéns, ante restrita às atividades alfandegárias, foi aberta ao público para eventos de arte, música e cultura, reforçando a região como um dos novos polos de cultura e economia criativa na cidade. Um dos primeiros a chegar foi o Armazém da Utopia, galpão centenário de 5 mil metros quadrados que sedia eventos culturais, como o Festival do Rio, o Rio H2K e o Tudo é Jazz no Porto, além de produções na área de música, dança e artes visuais. Gerido desde 2010 pelo Instituto Ensaio Aberto, já recebeu mais de 300 mil visitantes", descrevem os técnicos do Sebrae no estudo, que defendem que os estabelecimentos adotem novas ações de gestão para também acompanhar o novo perfil da região.

 

O Flórida Bar, um dos mais antigos da Região Portuária, tem se beneficiado do novo momento após alguns anos difíceis durante as obras. Em entrevista ao site Rio Oportunidade de Negócios, o proprietário Auricélio de Oliveira Neves afirma que aproveitou a oportunidade. Morador da área, vai trabalhar todos os dias de bicicleta e passa pelo terminal de navios que durante a alta temporada abastece seu bar de turistas, visitantes e até tripulantes. Na baixa temporada, o proprietário lança promoções para atrair a clientela, como "Quarta de chope duplo" e "Segunda com 50% de desconto nos tira-gostos".

 

O Projeto Sebrae no Porto, parceria entre a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) e o Sebrae/RJ, apoia empresários como Neves, que adequou o modelo de negócio ao novo perfil da área. Segundo o proprietário, o próximo passo é a reforma arquitetônica e incremento do cardápio do bar para atrair novos públicos.

 

Ainda de acordo com o estudo, o público que hoje frequenta a Região Portuária tem perfil bem variado, mas, de forma geral, consome algum tipo de alimentação. Os bares e restaurantes precisam identificar que tipo de gastronomia e serviço vão oferecer e definir sua estratégia para atrair mais clientes. "Comida caseira? Menu sofisticado? Botequim? Ampliar a oferta de produtos? Só almoço? Também noites e fins de semana? Os negócios de alimentação devem estudar as oportunidades e compor uma oferta para cativar o público que cada vez mais circula na região", diz o documento.

 

Os bares têm criado pratos executivos, rodízio de menu com diferentes culinárias/temas a cada dia da semana, promoções de happy hour (horário pós-expediente), com vantagens na compra de comidas ou bebidas e serviço especial para grupos de turismo e eventos corporativos. Outra sugestão para os restaurantes é a criação de cardápio infantil, além de ambientes com comodidade e entretenimento para as crianças.

 

Mais informações sobre o estudo e o Projeto Sebrae no Porto no site da Cdurp.


Imagens relacionadas:










Serviços Serviços