Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro

Prefeito destaca importância da reciclagem em visita à fábrica da Comlurb

17/01/2017 15:46:00  » Autor: Flávia David / Fotos: Edvaldo Reis


A Prefeitura do Rio economiza por mês cerca de R$ 700 mil com a confecção dos equipamentos produzidos pela Fábrica Aleixo Gary, da Comlurb. A fim de criar soluções alternativas e sustentáveis, a fábrica, além de aproveitar o material obsoleto da companhia, adquire matéria-prima reciclada de cooperativas licitadas do setor.  Entre os 14 mil itens confeccionados, as vassouras são a produção mais significativa, com 12 mil unidades. Elas geram uma economia de R$ 600 mil por mês. A vassoura de uso doméstico custa para a fábrica R$ 3,80, valor cinquenta por cento inferior ao encontrado no mercado. Já as utilizadas pelos garis nas ruas valem R$ 7,60 cada enquanto no comércio em geral o valor fica em torno de R$ 20. Os demais materiais, como mobiliários e cestos de praia, representam, em média, uma redução de R$ 100 mil nos gastos.

 

 

- Precisamos aprender com a Comlurb, que nos dá uma grande lição. Neste momento em que vivemos uma grande crise na nossa economia, é muito importante que cada setor da prefeitura disponha de uma tecnologia voltada a recolher o material reciclável, repensá-lo e reutilizá-lo. Enfim, fazer com que se produza mais por menos. Atitudes como essa precisam estimular a sociedade a fazer o mesmo. A população precisa ter consciência de que a reciclagem é um imperativo. Precisamos conter as emissões de gases de efeito estufa e acabar com o desserviço - disse o prefeito Marcelo Crivella durante visita à fábrica, na manhã desta terça-feira (17/01), ao lado da secretária municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação, Clarissa Matheus.

 

 

Entre os locais que se beneficiam com os produtos da fábrica está o Parque Madureira, escolhido para receber vassouras feitas de fibra de coco e cerdas de garrafas pet; gangorras confeccionadas com garrafas pet; carrinhos e cestas de lixo, feitos com placas de fibra de coco e resina de mamona, coletados nas areias das praias cariocas. A fábrica também criou as placas de sinalização do Parque Nacional da Tijuca, a partir da reciclagem de polímeros e de fibras vegetais.

 

 

- É sempre uma honra poder mostrar o nosso trabalho e, principalmente, abrir os olhos da sociedade para a questão da reciclagem. Entendemos que isso precisa ser aculturado e expandido a outras organizações. É um grande negócio reciclar tudo o que for possível, seja orgânico ou não orgânico - disse o coordenador operacional da Fábrica Aleixo Gary, Jorge Fernandes.

 

 

Funcionário da Comlurb há mais de 25 anos, com três anos de fábrica, o carioca Antônio Cláudio dos Reis, de 50 anos, disse estar orgulhoso por ver os produtos que fabrica serem utilizados por seus colegas nas ruas do Rio:

 

 

- É muito legal saber que aquilo que nós fazemos é utilizado pelos trabalhadores da companhia. É um trabalho que atende às necessidades da empresa, com um custo muito bom, ao mesmo tempo em que gera satisfação nas ruas. Com bons equipamentos, a cidade fica mais limpa.

 

 

Além das vassouras, cestos para limpeza da praia e mobiliários (mesas e armários), a Fábrica Aleixo Gary, que funciona há 73 anos em Campo Grande, produz kits de painéis de proteção de operação com ceifadeira, kits de reco-reco e rodo, carrinhos de limpeza, espetos e chaves de ralo. Também se destacam gangorras, balanços, cestas de lixo e fraldários. Além disso, papeleiras danificadas viram papões e grandes pás e contêineres são remodelados e se transformam em carrinhos de lixo. A fábrica também produz os materiais destinados às ações de conscientização da companhia, como os blocos de letras da campanha #PraiaLimpa. 




Serviços Serviços