Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro

 

 


 

Prefeito debate o legado dos Jogos Olímpicos para a região de Deodoro

15/08/2015 22:40:00  » Autor: Flávia David / Fotos: Ricardo Cassiano


O prefeito Eduardo Paes participou, na manhã deste sábado (15/08), no Ponto Cine, em Guadalupe, de debate com moradores de bairros próximos a Deodoro sobre o legado das obras olímpicas que estão sendo realizadas naquela região. O encontro reuniu lideranças comunitárias e representantes de movimentos sociais dos bairros de Guadalupe, Ricardo de Albuquerque, Anchieta, Parque Anchieta, Mariópolis, Marechal Hermes, Costa Barros e Barros Filho. Mediado por Adailton Medeiros, diretor executivo do local, o debate foi dividido em três fases: na primeira, apresentação audiovisual das obras; nas outras duas, perguntas feitas pelos componentes da mesa e o público. O evento durou mais de duas horas e lotou o cinema.

 

- Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 são a oportunidade para que esta cidade se transforme. O que mais argumentei para trazer o evento para o Rio foram os nossos problemas e a importância dos Jogos para solucioná-los. Recebemos a chance de tornar esta cidade melhor e isso já pode ser comparado ao que ela era em 2009. Durante todo o processo de organização, procuramos seguir três mandamentos: o legado; a economia de recursos públicos; e a entrega das obras no prazo, dentro do custo, e sem elefantes brancos após as competições. Não posso deixar de destacar que muitas delas foram entregues antes do prazo, como foi o caso do Centro de Operações Rio, do BRT Transoeste e do Parque dos Atletas, por exemplo - explicou Paes, após exibição de vídeo que detalhou o andamento da obra de cada equipamento olímpico. 

 

Além de Adailton, o debate teve como provocadores a jornalista e produtora cultural Adriana Baptista, de Guadalupe, o produtor Renan Schuindt, de Costa Barros, e Jefferson Maia, pedagogo, artista plástico e ex-atleta, de Ricardo de Albuquerque. O grupo propôs temas e perguntas a serem respondidas pelo prefeito. Além destes, o público também participou ativamente, com perguntas relacionadas à mobilidade, sustentabilidade, segurança, turismo e lazer. 

 

Dois dos temas mais questionados pelo público durante o debate foram segurança e transportes. Ao falar sobre o primeiro assunto, Renan Schuindt levou os presentes a discutir a criação de ações educacionais como forma de evitar que crianças e jovens sintam vontade de entrar para o mundo do crime. Paes respondeu que não se trata apenas de um problema da cidade, mas de todo o país. Segundo ele, é necessário entender a "raiz do problema" antes de se assumir o desafio de enfrentá-lo. Ainda segundo Paes, existem questões sociais que precisam ser discutidas. Em relação ao seu governo, o prefeito disse acreditar que a implantação de escolas em turno único será benéfica, uma vez que os alunos passarão o dia inteiro na escola, envolvidos em diversas atividades, de educação, esportes e lazer. 

 

Sobre transportes, a palavra ficou com Jefferson Maia, que é cadeirante. Ele propôs melhorias no transporte público para garantir maior conforto e segurança às pessoas com deficiência e destacou a realização dos Jogos Paralímpicos como incentivo à criação e execução de mais políticas públicas voltadas para este segmento: 

 

- Quando falamos de Paralimpíada, devemos lembrar a necessidade de políticas de inclusão. A Prefeitura do Rio já faz muito, mas precisamos de mais. É um trabalho que não deve parar. Devemos pensar nos atletas, sim, mas principalmente na população após os Jogos. O prefeito afirmou que o governo municipal investe em ações de inclusão em suas Vilas Olímpicas. 

 

Ao seu lado, a produtora Adriana Baptista afirmou que encontros como esse são fundamentais para que se estabeleça uma ponte entre sociedade e poder público. Para ela, o debate deste sábado renovou suas esperanças: 

 

- Vejo tudo isso com bons olhos. Vivemos em uma área que necessita da presença constante dos órgãos públicos. Através do debate, conseguimos expor exatamente o que é primordial para o nosso dia a dia. Os Jogos Olímpicos estão alavancando ações sensacionais, como é o caso dos BRTs, que há muito esperávamos. Acredito ainda que a visibilidade que a cidade vai adquirir após o evento esportivo será fundamental para que os esforços sejam contínuos. 

 

Daniela Fernandes, de Barros Filho, foi uma das primeiras a falar quando o microfone foi entregue à plateia. A jovem defendeu a criação de um parque florestal, como mais uma opção de lazer para os moradores da região. Ao seu lado, Tânia Fausto sugeriu ajustes na operação do BRT Transoeste, por conta da alta demanda que o sistema precisa atender diariamente. O prefeito afirmou que está atento ao problema e que já existe um projeto, em fase de finalização, para melhorar o serviço. 

 

Outras sugestões apresentadas pela platéia para a Zona Oeste, e anotadas pelo prefeito, foram ampliação do horário de atendimento das linhas alimentadoras do sistema BRT; a construção de mais Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs); reformulação do Piscinão do Parque das Vizinhanças Dias Gomes, em Deodoro; aumento da cobertura dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) na região; projetos para aumentar o potencial cultural e turístico da região; e alternativas viárias para desafogar a Estrada Marechal Alencastro, em Parque Anchieta.




Serviços Serviços