Guarda Municipal do Rio de Janeiro - GM-Rio
Guarda municipal recebe Medalha de Mérito Pedro Ernesto

Sérgio Santos é responsável por projeto social que oferece aulas gratuitas de lutas para mais de 300 crianças e adolescentes em Guadalupe


07/10/2013 12:01:00


O guarda municipal Sérgio Santos, do Grupamento de Operações Especiais (GOE), recebeu a Medalha de Mérito Pedro Ernesto, principal comenda concedida pela Câmara Municipal do Rio a pessoas que se destacam na sociedade brasileira e internacional, em solenidade realizada na noite do dia 6 de junho, no plenário da casa. A homenagem foi realizada por iniciativa do vereador e guarda municipal licenciado Jones Moura, em reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo guarda à frente do projeto social Blindando Vidas, que atualmente atende cerca de 380 crianças e adolescentes oferecendo aulas gratuitas de artes marciais no bairro de Guadalupe, na Zona Norte do Rio.

 

Além de Sérgio, mais 23 pessoas, entre professores e colaboradores que o auxiliam no projeto e atletas da Guarda Municipal, foram homenageadas na noite com moções de louvor e congratulações, marcando a importância do esporte no desenvolvimento social. Participaram da solenidade familiares dos agraciados e também comandantes de unidades operacionais da GM-Rio e guardas municipais. Os companheiros de equipe de Sérgio e o comandante do GOE também estiveram presentes no evento para prestigiar o amigo.

 

- Sérgio é hoje uma peça fundamental na capacitação em defesa pessoal dos guardas do GOE e acompanho de perto a história dele. A trajetória de um atleta não é fácil, marcada por desgastes, lesões e diversas dificuldades, mas ele nunca desistiu de seu sonho e lutou muito para poder oferecer um treinamento de qualidade para crianças e jovens, que podem se tornar até atletas olímpicos no futuro, mas que principalmente estão tendo a chance de mudar de vida – afirmou o subinspetor Alex Abrantes, comandante do GOE.

 

O vereador Jones Moura também destacou a importância do trabalho de Sérgio no contexto da segurança pública, com foco na prevenção, oferecendo alternativas para os jovens de atividades que estimulam a disciplina e que podem se tornar uma profissão. Jones Moura ainda disse que a iniciativa para entrega da medalha recebeu amplo apoio dos vereadores da cidade, pois Sérgio serve a cidade como guarda municipal e também como cidadão, por meio do projeto.

 

Após receber a condecoração, o atleta agradeceu o reconhecimento e o apoio de todos as pessoas que contribuíram para que o projeto Blindado Vidas se tornasse uma realidade, incluindo sua mãe, Diva Santos, que atualmente é assistente social do projeto e também recebeu moção no evento.

 

- Essa medalha não é minha, é do projeto, é de cada criança. Sozinho não conseguiria nada, mas com apoio de uma grande equipe, estamos atacando a violência e estamos vencendo – afirmou Sérgio.

 

Saiba mais sobre o projeto – Para dar início ao projeto social Blindando Vidas, o tricampeão brasileiro e bicampeão pan-americano de kickboxing Sérgio Santos, lutou bastante. A primeira tentativa de Sérgio em montar o projeto foi em 2008, quando ele passou a abrir vagas gratuitas para acolher alunos que não podiam pagar pelas aulas em uma academia de artes marciais onde atuava. O projeto funcionou neste formato até 2011, quando o proprietário do espaço não autorizou mais as gratuidades. Somente em 2017, Sérgio conseguiu reativar as aulas, alugando espaço no shopping, que acabou se tornando parceiro do GM cedendo a sala gratuitamente a partir de abril.

 

Atualmente o Blindando Vidas conta com cerca de 380 alunos, de 4 a 17 anos, e oferece sete modalidades de lutas, que são o Muay Thai, Kickboxing, Boxe, Jiu-jitsu, Judô, Wrestling e Luta Olímpica. Para entrar e parmanecer no projeto, os alunos que fazem as aulas gratuitamente têm que comprovar estar matriculados em escola e frequentando as aulas, além de ter bom comportamento e desempenho. “Quando um aluno começa a faltar aulas na escola, apresentar mau comportamento ou diminuir o rendimento escolar, eu suspendo do projeto até as notas melhorarem e as mães apoiam muito esta iniciativa. Dessa forma, eles são estimulados a se dedicarem aos estudos”, destaca o GM.

 

Para realizar esse trabalho de pesquisa social e acompanhamento dos alunos, Sérgio conta com a ajuda de uma assistente social. E esse apoio é mais que especial para o GM, pois a profissional que hoje o ajuda já quis convencê-lo a deixar o esporte no início da carreira. Trata-se de sua mãe. Sérgio veio de uma família de baixa renda, sustentada pela mãe, que tinha que trabalhar longas horas para sustentar os quatro filhos. Quando ele começou a lutar Muay Thai, aos 11 anos, a mãe ficou com medo que se envolvesse em coisas erradas, mas felizmente, para Sérgio a luta foi um caminho sem volta para uma bela carreira. Em 25 anos de carreira, Sérgio já conquistou 11 títulos intermunicipais, 12 cariocas, quatro brasileiros, dois panamericanos e um sulamericano no Kickboxing, luta para a qual migrou no início da carreira e mais se identificou. O início da carreira Sérgio foi como a da maioria de seus alunos, em projetos sociais, e hoje ele buscar compartilhar um pouquinho do que recebeu.


Imagens relacionadas: